Deputado estadual do Amazonas, Fausto Junior (MDB)
Divulgação/Agência Senado/Pedro França
Deputado estadual do Amazonas, Fausto Junior (MDB)


O presidente da CPI da Covid, senador  Omar Aziz (PSD-AM) revelou durante sessão nesta terça-feira (29) que irá investigar o motivo pelo qual o governador do Amazonas Wilson Lima não ter sido indiciado na CPI do estado amazonense, que investigava desvios na saúde.

“Que a gente possa mostrar ao estado do Amazonas por que esta desse jeito. Em relação a mim, qualquer coisa que assacam contra mim, eu tenho o direto de me defender e estou me defendendo, ando de cabeça erguida”, afirma Aziz, que revela que pedirá a quebra de siglo bancário e fiscal em eventuais envolvidos em desvios de recursos públicos destinados à saúde no estado.

Confira trecho da fala do presidente da Comissão:


O presidente da CPI da Covid , Omar Aziz (PSD-AM), discutiu com o deputado estadual do Amazonas Fausto Junior (MDB), que depõe na sessão da Comissão nesta terça-feira (29).

O parlamentar amazonense se irritou com os questionamentos de Aziz acerca de terrenos comprados em nome da mãe de Fausto, e se negou a responder os questionamentos do senador. “O sr. está acostumado a atacar mulheres agora”, disse o deputado.

“Eu me recuso a ser atacado, esta expondo coisas pessoais, eu vim contribuir como testemunha, sobre o relatório da CPI, vossa excelência, que foi investigado pelo meu relatório, você e sua família são investigados, acusados de desviar R$ 200 milhões da saúde, fale verdade, vossa excelência não tem moral para falar de corrupção no meu estado”, completou Fausto Junior, que em alguns momentos, teve o microfone cortado pelo presidente da CPI.

Assista trecho da discussão:

Antes de passar a palavra para o questionamento dos senadores inscritos na CPI, Aziz deu sua “tréplica” na discussão com o deputado estadual:

“Até hoje não foi provado absolutamente nada(...) Eu não tenho absolutamente nenhuma condenação na minha vida”, afirma,. “É muito estranho, ao invés de responder às perguntas ele vem me acusar. Eu estou respondendo processo, não tem nenhuma denúncia contra mim, e nem fui preso”, completa o presidente da CPI.

O deputado Fausto Junior - que foi relator de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) no Amazonas (AM) que investigou no ano passado supostas fraudes na aquisição de equipamentos de saúde de 2011 a 2020 - afirmou que o governador Wilson Lima (PSC) não comprou nenhum respirador para o AM durante a pandemia da Covid-19. Assista ao vivo:

Assista ao vivo:


"Todos os respiradores que nós dispunhamos no estado do Amazonas foram enviados pelo Governo Federal, uma vez que o estado do Amazonas não comprou nenhum", disse o deputado estadual do AM. Ele ainda informou os senadores que uma parte dos respiradores enviados pelo Governo Federal chegaram danificados, mas que atenderam a demanda da população. "Nós sabemos essa informação porque averiguamos [na CPI do Amazonas] quantos respiradores o Estado havia comprado", completou.

Ao ouvir a informação, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) questionou o depoente porque, mesmo sem comprar respiradores, o governador Wilsom Lima não foi indiciado pela CPI estadual. Fausto alegou que passou de um problema de "má gestão", mas que não havia crime no caso. O vice-presidente da CPI, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) rebateu: "Não comprar respirador no meio de uma pandemia e o senhor acha que isso não é crime?", questionou. Assista ao vídeo:



Fausto já havia falado antes, no início da sessão, sobre o fato de não ter indiciado o governador do Amazonas na CPI da Covid. Ele disse que o deputado Omar Aziz (PSD-AM) também deveria ter sido indiciado, se Wilsom Lima fosse. Segundo Fausto a CPI averigou problemas da saúde no estado de 2011 a 2020 - período pelo qual Aziz passou pelo cargo de governador do AM.

Fausto chegou a acusar o senador Omar Aziz (PSD-AM) de ameaçá-lo durante seu depoimento no senado federal nesta terça-feira, 29. O debate durou alguns minutos na comissão, mesmo sem relação direta com a pandemia da Covid-19. 

Omar Aziz foi governador do Amazonas entre 2010 e 2014 e foi apontado diretamente pelo deputado. "Todos os governadores investigados pela CPI mereciam ser indiciados. Eu propus isso no âmbito da comissão e não foi aceito. O certo era para ser indiciado inclusive o ex-governador Omar Aziz", disse Fausto.


Em seguida, o senador Eduardo Braga (MDB-AM) se posicionou sobre a situação. "Essa CPI deve avaliar problemas da pandemia da Covid-19 e o principal responsável no Amazonas, comprado por uma CPI e por uma investigação da Polícia Federal, do Ministério Público Federal e que aguarda julgamento do STJ, tem nome e sobrenome: Wilsom Lima, governador do estado", afirmou Braga. 

O Fausto Junior que foi relator de uma comissão de inquérito parlamentar aberta na Assembleia Legislativa do estado em 2020. A CPI estadual concluiu que houve superfaturamento na compra de respiradores hospitalares e ventiladores pulmonares. Com isso, pediu-se a exoneração de autoridades e agentes públicos do governo amazonense.

O pedido para ouvir o deputado foi apresentado pelo senador Marcos Rogério (DEM-RO) por meio de um requerimento. Em sua solicitação, o parlamentar argumenta que a CPI do Amazonas "teve atuação decisiva e complementar às linhas de investigação" e que a presença de Fausto na CPI do senado é "de importância singular para que exponham suas atuações e seus conhecimentos sobre os fatos acima relacionados". 

Você viu? 



    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários