Missil testado pelos EUA dias após Rússia invadir Ucrânia
Divulgação/DARPA
Missil testado pelos EUA dias após Rússia invadir Ucrânia

Os EUA decidem prosseguir com o fornecimento de armas à Ucrânia no combate contra a Rússia. O conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, Jake Sullivan, diz que o governo Biden enviará mais armas para impedir que a Rússia tome mais território e alveje civis, ataques que Washington classificou como crimes de guerra.

“Vamos dar à Ucrânia as armas necessárias para derrotar os russos e impedi-los de tomar mais cidades e vilas onde cometem esses crimes”, disse Sullivan no programa “This Week” da ABC News.

Moscou vem recebendo acusações de crimes de guerra , as quais rejeita. Sullivan também disse no “Meet the Press”, da NBC News, que os americanos estavam “trabalhando dia e noite para entregar as próprias armas e organizando e coordenando a entrega de armas de muitos outros países. Armas estão chegando todos os dias, inclusive hoje”, afirmou.

Ao todo, a Casa Branca contabiliza que os EUA já enviaram US$ 1,7 bilhão em recursos militares para o país atacado, desde o início do conflito, em 24 de fevereiro. Entre os armamentos, estão mísseis antiaéreos defensivos Stinger e mísseis antitanque Javelin, bem como munições e armaduras.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários