Glaidson Acácio dos Santos
Reprodução
Glaidson Acácio dos Santos

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Superior Tribunal (STF) , negou um pedido de habeas corpus e manteve preso Glaidson Acácio dos Santos, o "Faraó dos Bitcoins ", dono da GAS Consultoria Bitcoin e acusado de montar um esquema de pirâmide financeira com criptomoedas cujo como epicentro a cidade de Cabo Frio, na Região dos Lagos.

O ex-garçom já tinha sofrido derrotas na Justiça antes, ao ter pedidos de liberdade negados no Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) e no Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Ele está preso desde agosto deste ano, após a Polícia Federal deflagar a Operação Kryptos. A decisão de Moraes ocorreu no último dia 27 de novembro. No texto, o ministro ressalta que Glaidson "foi preso preventivamente e denunciado pela prática do crime de integrar organização criminosa" e "de delitos contra o sistema financeiro nacional". E, sem alterar a decisão do STJ, proferida em 14 de setembro, apontou que o pedido da defesa do acusado ao STF não era admissível, enquanto a análise do caso continua transcorrendo na instância competente.

"No particular, entretanto, não se apresentam as hipóteses de teratologia ou excepcionalidade.Diante do exposto, com base no art. 21, § 1º, do Regimento Interno do Supremo Tribunal Federal, indefiro a ordem de habeas corpus", escreveu o ministro.

Para os investigadores que iniciaram o caso, o empresário é responsável por uma organização criminosa responsável por fraudes bilionárias envolvendo criptomoedas. Em seis anos, foram mais de R$ 38 bilhões em movimentações tidas como fraudulentas.

Segundo a PF, a empresa de Glaidson oferecia contratos de investimento sem prévio registro junto aos órgãos regulatórios e previa insustentável retorno financeiro sobre o valor aportado. A GAS Consultoria prometia lucros de 10% ao mês mediante o investimentos em bitcoins, mas os investigadores afirmam que a GAS nem sequer reaplicava os aportes em criptomoedas, enganando duplamente os investidores.

Ele está preso na Cadeia Pública Joaquim Ferreira de Souza, no Complexo de Gericinó, na Zona Oeste.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários