CPI interrompe acesso a documentos sigilosos para evitar vazamento
Agência Senado
CPI interrompe acesso a documentos sigilosos para evitar vazamento

Os integrantes da CPI da Covid-19 decidiram limitar o acesso de parlamentares e assessores a documentos sigilosos da comissão. A determinação veio do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, e busca evitar o vazamento de informações. As informações foram divulgadas em nota enviada aos senadores e confirmadas pela jornalista Ana Flor.

O presidente da CPI, Omar Azis, disse à jornalista que “não quer que a CPI deixe de investigar, mas não há hipótese de deixarmos de seguir as regras constitucionais”. 

De agora em diante, os senadores poderão checar documentos resultantes de requerimentos de sua própria autoria, com compartilhamento restrito. Para ter acesso aos demais papéis, terão que fazer pedido fundamentado, que passará por análise da secretaria da CPI.

Veja a íntegra da nota emitida pela CPI e divulgada pela jornalista:

"Comunicamos que, por determinação da presidência, o acesso de parlamentares e assessores a documentos sigilosos da CPI foi interrompido. Oportunamente serão feitas alterações no sistema pela equipe técnica do Prodasen, para que os senadores possam acessar somente os documentos resultantes dos requerimentos de sua autoria ou, mediante pedido e fundamentação específica, a documento ligado a requerimento de outro Senador."

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários