Wilson Witzel na CPI
Divulgação/Agência Senado/Jefferson Rudy
Wilson Witzel na CPI

Senadores independentes e da oposição, que formam maioria na CPI da Covid, pretendem aprovar nesta quarta-feira a sessão secreta com o  ex-governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel. A data ainda precisa ser definida, mas a expectativa é de que a nova oitiva ocorra nas duas primeiras semanas de julho. Também não se sabe se a conversa ocorrerá em Brasília ou no Rio de Janeiro.

"Requer diligência, para que na condição de testemunha sujeita ao compromisso de dizer a verdade, preste depoimento em sessão reservada o Sr. Wilson Witzel, Ex-Governador do Rio de Janeiro", diz requerimento do senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), suplente na CPI.

No depoimento que prestou na semana passada, Witzel disse que há fatos sobres os quais não falaria na sessão, mas que poderia esclarecer numa reunião reservada.

— Eu vou falar aqui, sem nominar o fato, mas farei reservadamente, que houve conversas ao longo da noite com ministro do STJ (Superior Tribunal de Justiça) para poder fazer busca e apreensão em estados da Federação — disse Witzel na última quarta-feira — Nesta reunião, eu faço questão de apresentar elementos para iniciar uma investigação contra pessoas que estão desvirtuando a atuação funcional.

Você viu?

Além do requerimento de Witzel , os senadores também fecharam acordo pela aprovação de convite para o deputado Luis Miranda (DEM-DF) e o seu irmão, o servidor Luís Ricardo Miranda, do Ministério da Saúde, prestem depoimento na próxima sexta-feira.

Luís Ricardo Miranda, que é Chefe da Divisão de Importação, disse ao Ministério Público Federal, no final de março, que sofreu pressão para assegurar a importação da vacina Covaxin, produzida pela Bharat Biotech. A negociação é intermediada pela empresa Precisa Medicamentos, sócia da Global, que é alvo de processo por improbidade administrativa no qual o líder do governo, Ricardo Barros (PP-PR), também é investigado.

Em relação ao mesmo tema, sobre um possível favorecimento à Precisa pelo governo, senadores pretendem convocar Alex Lial Marinho, ex-coordenador-geral de Aquisições de Insumos Estratégicos para Saúde do Ministério da Saúde. O intuito é verificar se ele foi um dos responsável por pressionar Luís Ricardo Miranda e por qual motivo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários