Mandetta vai continuar recebendo enquanto a proibição continuar
undefined
Mandetta vai continuar recebendo enquanto a proibição continuar

A Comissão de Ética Pública da Presidência da República determinou, em reunião nesta terça-feira, um período de quarentena remunerada de seis meses a Luiz Henrique Mandetta. O ex-ministro da Saúde do governo de Jair Bolsonaro deve aguardar seis meses antes de exercer qualquer atividade no setor privado.

Leia mais:  Mandetta cita "ministério ausente" como fator de piora da Covid-19 no Brasil

Isso significa que Mandetta continuará recebendo o salário de ministro neste período, de cerca de R$ 31 mil, conforme previsto em lei para casos do tipo. O ex-ministro fez uma consulta à comissão, segundo seu presidente, Paulo Henrique dos Santos Lucon, sobre se poderia atuar na área de saúde em organizações privadas.

"Não é vantagem para ele (a quarentena), porque na área privada ganharia mais. Mas ele tem informações privilegiadas na área de saúde, e não poderia atuar no setor privado", disse Lucon ao GLOBO.

Saiba mais:  Secretário de Vigilância do Ministério da Saúde deixa o cargo

Quando Mandetta saiu do ministério, em abril, o DEM ofereceu um cargo a ele um cargo de consultor, para que pudesse continuar aconselhando governadores e prefeitos na crise do coronavírus. Ele aguardava a liberação da Presidência, no entanto, para poder assumir o posto.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários