Tamanho do texto

Depois de votar, em Fortaleza, Ciro disse que fará oposição ao governo de qualquer um dos candidatos; no Twitter, ex-candidato usou #DemocraciaSim

Ciro Gomes sobre voto: se
Reprodução
Ciro Gomes sobre voto: se "quisesse aderir a uma ou outra força, eu teria feito antes”


Ex-cadidato à presidência pelo PDT, Ciro Gomes declarou que fará oposição a qualquer um dos presidenciáveis que vença o segundo turno das eleições neste domingo (28). A afirmação foi feita no início da tarde, em Fortaleza, logo após o pedetista ir às urnas acompanhado de sua esposa, Giselle Bezerra.

Leia também: Haddad diz que não há nenhuma 'decepção' e evita falar sobre Ciro

Depois de dizer que votaria contra a intolerância, mas faria oposição aos dois possíveis governos, Ciro completou dizendo que nenhum dos candidatos conseguirá “desarmar a bomba de ódio que vem destruindo a economia brasileira e agravando a condição social do povo brasileiro” e que, por isso, não apoiou nenhuma candidatura.

Em seguida, o ex-candidato disse esperar estar errado, para que o candidato vitorioso “possa desarmar essa bomba por si e restaurar a paz política no Brasil” e, assim, resolver as questões sociais e econômicas do Brasil, mas afirmou que, apesar da torcida, não acredita que isso vá acontecer.

Ele ainda classificou o cenário eleitoral como desastroso, e criticou a polarização no País. “Você elege uma banda do país e a outra fica em oposição rasteira e destrutiva. E quem sofre com isso é o povo”, disse.

Apoio de Ciro Gomes, esperado pela campanha petista, não aconteceu


Ciro afirmou que está mantendo a mesma posição anterior e que se “quisesse aderir a uma ou outra força, eu teria feito antes”. O posicionamento do ex-candidato era esperado pela campanha de Fernando Haddad (PT), já que, após o resultado do primeiro turno, no qual Ciro conquistou 13 milhões de votos e a terceira colocação, ele prontamente aderiu ao #EleNão, campanha que vai contra a candidatura de Jair Bolsonaro (PSL).

Apesar da espera, o pedetista viajou para a Europa e só retornou no sábado (27), pouco antes do segundo turno. No mesmo dia, ele postou um  vídeo em sua página no Instagram em que não apoia o candidato do PT, afirma preferir não tomar um lado porque “não pode ajudar e nem quer atrapalhar.”

Depois de votar, o ex-candidato ainda declarou não entender as críticas por sua ausência durante o segundo turno do período eleitoral. “A quem que eu estou devendo essa presença?”, perguntou. Tomando uma posição menos neutra, Gomes completou afirmando que não quer “fazer campanha com o PT nunca mais.”

Em sua conta no Twitter, logo depois de votar, Ciro postou uma voto em sua seção eleitoral ao lado da esposa, com a #DemocraciaSim.

Leia também: Em referência a Ciro, governador da BA diz que história julgará quem se omitir

O PDT, partido de Ciro Gomes , declarou apoio crítico ao PT.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.