Presidente da Câmara ainda criticou deputados que questionam o rito proposto para votação de denúncia contra o presidente Michel Temer

O presidente da Câmara dos Deputados , Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta quarta-feira (2), durante sessão no plenário, que espera encerrar até o início da noite a votação de denúncia contra o presidente Michel Temer . A Casa analisa o pedido do Supremo Tribunal Federal (STF) para a autorização de abertura de um processo criminal contra o presidente por corrupção passiva.

Leia também: Saiba o que acontece se a denúncia contra Temer for aceita pela Câmara

"Ninguém está animado com a votação de uma denúncia contra o presidente da República, mas é nosso papel institucional encerrar este assunto na tarde e no início da noite de hoje. O Brasil precisa de uma decisão da Câmara", disse Rodrigo Maia . Em seu discurso, o deputado fez uma pequena mudança no planejamento, já que na terça-feira (1º) esperava que a votação da denúncia fosse finalizada já no período da tarde.

Em sessão nesta quarta, Rodrigo Maia afirmou que deputados tem a obrigação de encerrar o anúncio até o início da noite
Reprodução - 2.8.17
Em sessão nesta quarta, Rodrigo Maia afirmou que deputados tem a obrigação de encerrar o anúncio até o início da noite

Leia também: Entenda como funcionará a votação da denúncia contra Michel Temer

Na sessão desta quarta, Maia disse esperar que haverá quórum para deliberar o tema, mesmo com a obstrução anunciada pela oposição. Também criticou os parlamentares que questionam o rito proposto para a sessão. "Se alguém reclamar, é porque não quer votar a matéria, quer desgastar o País", disse.

Como funcionará a votação

A sessão desta quarta-feira foi aberta por volta das 9h, quando já contava com número de deputados superior ao quórum mínimo de 52 parlamentares. Após as falas do relator do parecer, deputado Paulo Abi (PSDB-MG), e do advogado do presidente, Antônio Cláudio Mariz, os deputados expõem seus posicionamentos a respeito da denúncia por cinco minutos cada.

A votação estará aberta se 257 parlamentares votarem pelo fim da fase de discussão. No entanto, ao menos 342 deputados deverão estar presentes nesta etapa. Este também é o número mínimo para a denúncia ser aceita e seguir para o STF. Se o mínimo de parlamentares presentes não for alcançado, o presidente da Câmara deverá marcar uma nova sessão para tratar de denúncia contra Temer.

Leia também: Temer X Dilma: tempo de debate é maior diferença em rito na Câmara

Se o número for atingido, a votação será iniciada por meio de chamada nominal. Os deputados serão convocados por ordem alfabética. Segundo Rodrigo Maia, o regimento prevê apenas o voto, mas cada parlamentar terá 15 segundo para apresentar seus argumentos e, em seguida, seu voto.

* Com informações da Agência Câmara.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.