Juiz determinou que 102 menores de cinco anos fossem devolvidos aos pais até esta terça-feira (10), o que não foi cumprido pelo governo republicano; Trump foi a Bruxelas em reunião da Otan e não justificou descumprimento

Reprodução/ Fox News
"Digo às pessoas que não venham ilegalmente ao nosso país", disse Trump sobre crise de crianças imigrantes

O presidente americano, Donald Trump, afirmou nesta terça-feira (10) que a solução para a crise das crianças imigrantes separadas dos pais na fronteira do país com o México é “que não venham ilegalmente”.

Leia também: Lista revela que 49 crianças brasileiras estão separadas dos pais nos EUA

O republicano foi questionado pela imprensa local sobre a data limite em cumprir a decisão de reunir as crianças imigrantes aos responsáveis hoje, antes de embarcar para a Bruxelas, ao que respondeu que “deveriam chegar legalmente”.

“[Sobre a crise], tenho uma solução. Digo às pessoas que não venham ilegalmente ao nosso país. Essa é a solução. Vejam como fazem outras pessoas. Elas chegam legalmente”, destacou o presidente americano.

Política de separação de crianças imigrantes e pais

O governo republicano de Trump vive pressão depois da política de “tolerância zero” contra a imigração no país, que fez com que ao menos três mil crianças fossem separadas de seus pais depois de atravessarem a fronteira de maneira ilegal. Alvo de polêmica e críticas tanto de democratas quanto de republicanos – incluindo a primeira-dama Melanie –, o presidente decidiu entregar os menores aos responsáveis, mas, até agora, apenas 500 foram reunidos aos pais.  

Leia também: Imigrantes ilegais devem ser mandados para seus países 'imediatamente', defende Trump

Com a medida suspensa em meados de junho, agora o governo lida com os questionamentos acerca do tema. O juiz Dana Sabraw, do tribunal de San Diego, na Califórnia, estabeleceu no final do mês passado que “crianças menores de cinco anos deveriam estar com os pais até esta terça-feira (10), e que o restante teria de se reunir aos responsáveis até o dia 26 de julho”.

Contudo, no dia da data limite do prazo estabelecido pelo juiz, ainda há crianças que não foram devolvidas. Nesse contexto, Trump apenas respondeu à imprensa que “temos leis e temos fronteiras . Não venham ao nosso país de maneira ilegal. Não é algo bom”.

Ontem, advogados do Departamento de Justiça se reuniram com o juiz a fim de apresentar o que já foi feito até agora: duas crianças retornaram aos seus pais, e ainda seriam entregues entre 54 e 59 menores de cinco anos. Desse modo, cumpririam em parte o prazo imposto por Sabraw – que estabeleceu que 102 crianças deveriam se reunir aos seus pais nesta terça.

Leia também: Melania Trump trabalhou 'nos bastidores' contra separação de famílias imigrantes

De acordo com as autoridades, os dois casos das crianças imigrantes devolvidas foram mais ágeis porque “os pais continuam em custódia das autoridades federais”. Donald Trump chegará hoje a Bruxelas para a cúpula de líderes da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), depois seguirá ao Reino Unido e deve concluir a viagem à Europa no dia 16 de julho, em Helsinque, onde se reunirá com o presidente da Rússia, Vladimir Putin.

    Leia tudo sobre: Donald Trump
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.