'Ainda não era advogado constituído', diz defensor de Bruno após post no Twitter

Tiago Lenoir, que entrou hoje na equipe que defende o goleiro Bruno, postou ontem em rede social que o goleiro e Macarrão deveriam confessar o crime para pegar uma pena menor

Ricardo Galhardo e Carolina Garcia - enviados a Contagem (MG) | - Atualizada às

O advogado Tiago Lenoir se defendeu nesta terça-feira (20) das declarações feitas por ele mesmo na rede social Twitter , nesta segunda-feira (19), onde aconselhava Bruno e Macarrão, réus do julgamento sobre a morte da modelo Eliza Samudio, que confessassem o crime para que podessem pegar uma pena menor. "Hoje sou advogado e não vou entrar em polemica. Eu ainda não era advogado constituído”, disse Lenoir na saída do fórum, em Contagem (MG).

Alex de Jesus/O Tempo/Futura Press
Tiago Lenoir assume a defesa de Bruno após Rui Pimenta ser destituído

Saiba tudo sobre o julgamento do caso Bruno

Tiago Lenoir foi nomeado hoje novo advogado do ex-goleiro. Ele vai atuar ao lado de Francisco Simim após Rui Pimenta ser destituído no segundo dia de audiência no Fórum de Contagem, em Minas Gerais. O anúncio foi feito por meio de um perfil atribuído a Lenoir no Twitter: "Fui substabelecido pelo dr. Simim e estou na defesa do Bruno".

O mesmo perfil exibiu ontem mensagens sobre Bruno e Macarrão, réus do julgamento. "O Bruno e Macarrão deveriam confessar o crime de homicídio e negar a ocultação de cadáver e sequestro. Dai pega 6 anos e volta a jogar bola. Mas na prática a defesa vai continuar falando asneiras e o Bruno será condenado a mais de 38 anos". Os posts foram apagados.

Entre as declarações na rede social, Lenoir também se ofereceu a apostar uma caixa de cerveja na condenação de Bruno a 38 anos de prisão caso o goleiro insista na atual estratégia de defesa. 

Provocado por jornalistas, o promotor Henry Wagner Vasconcelos, que é abstêmio, retrucou. "Se continuar apostando na condenação ele (Lenoir) pode ter um coma alcoólico".

Minutos depois, o advogado Rodrigo Bizzotto, que também integra a defesa de Bruno, fez a tréplica. "Vamos ter coma alcoólico de tanto comemorar a absolvição do Bruno".

O defensor é recém-formado em direito pela Pontifícia Universidade Católia de Minas Gerais (PUC-MG). Segundo a incrição de Lenoir na Ordem de Advogados do Brasil (OAB), ele terminou a graduação apenas dois anos antes do crime, em 2008.

Lenoir ganhou a posição de defensor do ex-goleiro nesta terça-feira pelo próprio Simim. Ainda segundo a inscrição do profissional na OAB, no ano seguinte a graduação, o advogaddo fez um curso de Política e Estratégia, na Associação Diplomados Escola Superior de Guerra.

Embora possa ser considerado inexperiente pelos colegas, Lenoir postou em seu Twitter que fez mais de 246 plenários de júri popular. Na região de Contagem, área metropolitana de Belo Horizonte, onde o julgamento de Bruno e mais dois réus é realizado, o profissional disse ter realizado mais de 90 júris.

    Leia tudo sobre: caso brunogoleiro brunotiago lenoirjulgamento

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG