Site oferece ferramenta de geração de gráficos com dados oficias da ONU e do Banco Mundial. Veja como a busca pode encontrar informações mais precisas

O Google, a ferramenta de busca mais utilizada da internet, pode ser ainda mais útil na hora de fazer trabalhos escolares e acadêmicos, se você souber como e onde pesquisar as informações que precisa. Dados oficiais da Organização das Nações Unidas (ONU), Banco Mundial, União Europeia, artigos acadêmicos, teses e trechos de livros podem colaborar e muito para o seu trabalho.

Apesar de familiarizados com o mundo digital, muitas vezes os estudantes não sabem encontrar material relevante na internet. “Eles captam o funcionamento das novas tecnologias muito mais rápido, mas na hora de extrair a informação, não sabem por onde ir. Podem passar direto por uma informação fundamental”, afirma Conceição Aparecida Cabrini, professora de História da Escola Nossa Senhora das Graças e doutora em Semiótica e Comunicação.

Índices e indicadores

Qual foi o tamanho do tombo da economia mundial na crise econômica atual? Qual é a emissão de CO2 per capita dos países desenvolvidos? E dos países em desenvolvimento? Como se comportou a taxa de natalidade no Brasil e no mundo nos últimos anos? Para ter acesso a dados como este e estabelecer comparações entre países, os estudantes podem usar a ferramenta Google Public Data . Com dados oficiais e atuais de grandes organizações, o site gera gráficos no período de tempo que o usuário quiser.

Em português , há dados disponíveis somente do Banco Mundial e da Eurostat , agência oficial de estatísticas da União Europeia. Mas em outros idiomas o leque amplia: há indicadores do desenvolvimento humano da ONU , informações do Fundo Monetário Internacional (FMI), Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), World Resources Institute (WRI), que acompanha dados sobre o meio ambiente, e agências internas dos países.

Emmanuel Evita, gerente de comunicação e assuntos públicos do Google, destaca a possibilidade de analise do desenvolvimento de outros países e comparação com o Brasil. Ele conta que a empresa já fez uma aproximação com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mas ainda não tem acesso aos dados atualizados. “É um trabalho de parceria. Estamos abertos a trabalhar com organizações de informações”, diz.

No Colégio Bandeirantes, que participa de simulações de reuniões da ONU, o acesso a banco de dados como estes fomenta as discussões dos alunos. “Eles utilizam essas informações para embasar os argumentos e fundamentar as propostas”, conta Cristiana Assumpção, coordenadora de Tecnologias Educacionais do colégio.

Gráfico de emissões de CO2 per capita mostra EUA muito acima da média global e dos países selecionados
Google
Gráfico de emissões de CO2 per capita mostra EUA muito acima da média global e dos países selecionados

Livros, teses e artigos científicos

No Google Acadêmico , a pesquisa é feita em teses, patentes, revistas e artigos científicos, sites de universidades e institutos. A parceria com editores e autores permite ao Google apresentar trechos de livros ou até mesmo a íntegra.

A pesquisa ajuda a incrementar a bibliografia de um trabalho e a encontrar mais estudiosos de um assunto. Os resultados mostram citações em artigos do termo pesquisado, possibilitando encontrar pesquisadores e especialistas. “São informações para um público bem específico”, define Emmanuel.

O Colégio Bandeirantes utiliza a ferramenta com os alunos do ensino fundamental e médio para a preparação dos trabalhos da Feira de Ciências. “Eles escrevem artigos científicos e pesquisam os modelos no Schorlar. Também mostramos como encontrar fontes confiáveis na ferramenta”, destaca Cristiana.

Conceição lembra a importância de um bom professor para ensinar o aluno o que é pesquisar, investigar um tema, consultar fontes, estabelecer relações e evitar as cópias. “A ferramenta em si não é má, quem faz mau uso são as pessoas. O professor deve trazer os benefícios dessa ferramenta e perguntar de um jeito que não estimule a cópia”, avalia. 

Ilustração mostra resultados de pesquisa para imagem de um quadro de Frida Kahlo e Diego Rivera no aplicativo Google Goggles
Google/Divulgação
Ilustração mostra resultados de pesquisa para imagem de um quadro de Frida Kahlo e Diego Rivera no aplicativo Google Goggles

Busca pela imagem

Lançado em 2010, o aplicativo Google Goggles utiliza a imagem capturada pela câmera do celular para fazer uma pesquisa. A ferramenta rastreia a foto e apresenta informações como a definição, onde comprar, imagens relacionadas, etc. Também é possível fotografar um texto escrito em outro idioma e traduzir para o português, sem precisar digitar as palavras.

O aplicativo pode ser utilizado durante viagens de estudos do meio para acessar dados sobre monumentos, obras de artes, peças de museu, etc.

Como definir melhor sua pesquisa

Saber como utilizar a barra de pesquisa do Google também é fundamental. Com alguns termos você definir melhor a busca, “limpar”, excluindo resultados indesejados, procurar arquivos e fazer cálculos rápidos.

- Busca exata de frases : Coloque aspas no início e fim de uma frase. O Google procurará por páginas com a oração exatamente igual à informada na barra de pesquisa. Sem as aspas, as palavras se tornam palavras-chave e podem trazem resultados fora do contexto.

- Ocultar resultados com determinadas palavras : Palavras com vários significados ou nomes muito populares podem trazer resultados confusos. Utilizar o sinal de menos antes de um termo para limitar sua busca. Por exemplo, se quiser informações sobre a cidade de São Paulo, digite “São Paulo –futebol” para evitar resultados relacionados ao clube.

- Busca dentro de um site : Muitos sites não oferecem mecanismo de busca, mas é possível usar o Google para encontrar uma informação dentro deles. Ao especificar um termo e escrever um nome de site depois de “site:”, o Google irá mostrar somente resultados com base em páginas do endereço informado. Exemplo: “nanotecnologia site:usp.br”, para resultados em páginas da USP

- Encontrar um tipo de arquivo : Para encontrar textos em pdf ou planilhas em excel com a informação desejada, digite o termo seguido de “filetype:” e a extensão do arquivo desejado. Exemplo: “edital vestibular UERJ filetype:pdf”

- Descobrir significados : Ao digitar “define:” seguido de uma palavra-chave, a busca retorna resultados que explicam o termo. Exemplo “define:anencefalia”

- Conversões monetárias : Para verificar a cotação de uma moeda em relação à outra, digite o valor seguido de “in” e o nome da outra moeda. Exemplo: “200 reais in euros”

- Calculadora : É possível fazer contas e gerar gráficos colocando dados no campo de busca. Os sinais + - / e * fazem as operações de soma, subtração, divisão e multiplicação, respectivamente. Para saber uma porcentagem, utilize o sinal %. Exemplo: 17% de 250. Equações como “sin x + cos x =” apresentam um gráfico no resultado

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.