Manifestação de estudantes termina em confusão na porta do MEC

Alunos quebraram vidros do prédio do Ministério. Grupo protestava em apoio à greve dos professores que atinge 51 instituições de ensino superior federais

Agência Brasil | - Atualizada às

Agência Brasil

Estudantes que estavam reunidos na frente do Ministério da Educação (MEC) em manifestação de apoio à greve dos professores das universidades federais quebraram a vidraça da portaria e de algumas janelas do térreo do prédio. Houve confronto com policias militares que acompanhavam a manifestação.

Leia tambémUFABC e Cefet-Rio aderem à greve dos professores federais

De acordo com o presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE), Daniel Iliescu, o grupo que depredou o prédio era uma “minoria” que agiu sem que houvesse nenhuma deliberação do movimento. Apesar disso, criticou a “truculência” dos policiais.

Um grupo de cerca de mil estudantes do ensino superior se concentrou na manhã desta terça-feira na porta do ministério em apoio à greve dos docentes das universidades federais que dura 20 dias e atinge 51 instituições .

Em algumas instituições, os alunos também declararam greve estudantil. De acordo com Iliescu, existe a possibilidade de uma greve nacional dos estudantes, que será votada durante reunião do Conselho Nacional de Entidades Gerais (Coneg) que reunirá os diretórios centrais estudantis das universidades federais neste mês.


O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, se reuniu hoje com o comando de greve nacional e informou que na semana que vem haverá uma reunião para retomar as negociações. Ele voltou a dizer que considera a greve precipitada e que considera normal o engajamento dos estudantes no movimento. Entretanto, condenou o quebra-quebra.

Leia também: Mercadante diz não ver motivo para greve nas federais

A principal reivindicação dos docentes é a revisão do plano de carreira. Em acordo firmado no ano passado, o governo prometeu um reajuste de 4%, a incorporação de parte das gratificações e a revisão do plano para 2013.

Os dois primeiros pontos já foram atendidos, mas não houve avanço na revisão da carreira. De acordo com o último balanço divulgado pelo Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes), professores de 48 instituições aderiram à paralisação.

Veja a lista completa de instituições que aderiram a greve:

1. Universidade Federal do Amazonas (UFAM)
2. Universidade Federal de Roraima (UFRR)
3. Universidade Federal Rural do Amazonas (UFRA)
4. Universidade Federal do Pará (UFPA)
5. Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa)
6. Universidade Federal do Amapá (Unifap)
7. Universidade Federal do Maranhão (UFMA)
8. Universidade Federal do Piauí (UFPI)
9. Universidade Federal do Semi-Árido (Mossoró) (Ufersa)
10. Universidade Federal da Paraíba (UFPB)
11. Universidade Federal de Campina Grande (UFCG)
12. Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE)
13. Universidade Federal de Alagoas (UFAL)
14. Universidade Federal de Sergipe (UFS)
15. Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM)
16. Universidade Federal de Uberlândia (UFU)
17. Universidade Federal de Viçosa (UFV)
18. Universidade Federal de Lavras (UFLA)
19. Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop)
20. Universidade Federal de São João Del Rey (UFSJ)
21. Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)
22. Universidade Federal do Paraná (UFPR)
23. Universidade Federal do Rio Grande (FURG)
24. Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT)
25. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ)
26. Universidade Federal dos Vales Jequitinhonha Mucuri (UFVJM)
27. Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR)
28. Instituto Federal do Piauí
29. Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais
30. Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB)
31. Universidade do Vale do São Francisco (Juazeiro) (Univasf)
32. Universidade Federal de Goiás (Catalão e Jataí) (UFG)
33. Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
34. Universidade Federal do Acre (UFAC)
35. Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio)
36. Universidade Federal do Rondônia (Unir)
37. Universidade de Brasília (UnB)
38. Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)
39. Universidade Federal do Pampa (Unipampa)
40. Universidade Federal de Alfenas (Unifal)
41. Universidade Federal de São Paulo (Unifesp)
42. Universidade Federal Fluminense (UFF)
43. Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
44. Instituto Federal do Sudeste de Minas Gerais
45. Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
46. Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)
47. Universidade Federal do Tocantins (UFT)
48. Universidade Federal da Bahia (UFBA)
49. Universidade de Integração Latino Americana (Unila)
50. Universidade Federal do ABC (UFABC)
51. Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (Cefef-RJ)

Fonte: Sindicato Nacional dos Docentes de Ensino Superior (Andes-SN), balanço de 5/6

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG