¿É proibido Fumar¿ é um dos favoritos no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro

Prêmio, considerado o Oscar do cinema nacional, será entregue nesta terça, em teatro no Rio

Valmir Moratelli, iG Rio de Janeiro |

Anna Muylaert está indicada em melhor direção no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, que acontece na noite dessa terça-feira (8), no Teatro João Caetano, Rio. O prêmio é considerado o Oscar do cinema nacional. Seu filme, “É Proibido Fumar”, também está cotado em outras cinco categorias (melhor longa-metragem de ficção, melhor atriz, melhor roteiro original, melhor montagem ficção e melhor trilha sonora).

Divulgação
Anna no set do filme "É Proibido Fumar"
Anna prefere fugir das comparações com Kathryn Bigelow que, no começo do ano, se tornou a primeira mulher a ganhar o Oscar de melhor direção pelo filme “Guerra ao Terror”. Anna não vê esta coincidência entre diretoras femininas a serem premiadas como uma nova tendência no meio cinematográfico.

“É claro que prêmios estimulam, à medida que aumentam a divulgação dos filmes. Quem ganha várias prêmios, passa a ter vários selos juntos ao seu título. Mas, para falar a verdade, nunca tenho expectativas em relação a prêmios. Tem o lado do mérito e o outro da sorte. Vou para curtir a festa, o que vier é lucro”, diz ela ao iG, que concorre, na mesma categoria, com Claudio Torres, por “A Mulher Invisível”; Daniel Filho, por “Se Eu Fosse Você 2” e “Tempos de Paz”; e Heitor Dhalia, por “À Deriva”.

Sobre ter um filme dirigido a partir de um olhar feminino, ela não acredita que faça diferença no momento em que se decide os melhores entre tantos. “Isso realmente não tem como saber, as pessoas não vão votar pensando se o diretor é um homem ou uma mulher”, afirma.

Anna está com dois novos projetos para o cinema. Um deles é o longa “Chamada a Cobrar”, feito a partir de um telefilme de 50 minutos, com a atriz Beth Dorgan. “É uma história sobre um falso sequestro, desses orquestrados de dentro das cadeias do Rio. Estamos em captação para finalização”, diz. O outro filme, ainda sem elenco confirmado, é “Que horas ela volta?”, ficção em torno da vida de uma empregada doméstica.

Sobre o filme

“É Proibido Fumar” foi o grande vencedor do 42º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, no final de 2009. Ganhou ao todo nove prêmios; além do de melhor filme, levou o de melhor atriz (com Gloria Pires), ator (Paulo Miklos), crítica, montagem, trilha sonora, direção de arte, roteiro e atriz coadjuvante.

O filme, que já saiu de cartaz, conta a história de uma professora de violão solteirona (Gloria), que vive um complicado caso de amor com seu novo vizinho, o músico Max (Miklos).

Divulgação
Cena do filme "É Proibido Fumar", com Gloria Pires e Paulo Miklos

Os concorrentes

MELHOR LONGA–METRAGEM DOCUMENTÁRIO
ALÔ ALÔ TEREZINHA de Nelson Hoineff. Produção: Daniel Maia, João Braga e Paloma Piragibe por COMALT, Comunicação Alternativa.
CIDADÃO BOILESEN de Chaim Litewski. Produção: José Carlos Asbeg por Palmares Produções e Jornalismo LTDA, Chaim Litewski, Pedro Asbeg, Jorge Melo e Ojvind Kyro.
LOKI – ARNALDO BAPTISTA de Paulo Henrique Fontenelle. Produção: André Saddy por Canal Brasil.
PALAVRA (EN)CANTADA de Helena Solberg. Produção: David Meyer por Radiante Filmes Ltda. Co-produção Marcio Debellian.
SIMONAL – NINGUÉM SABE O DURO QUE DEI de Calvito Leal, Claudio Manoel e Micael Langer. Produção: Raul Schmidt por Jaya, Roberto Berliner e Rodrigo Letier por TvZERO, Carlos Paiva e Isabelle Tanugi por Zohar Cinema, Claudio Manoel e Manfredo G. Barreto.
WALDICK, SEMPRE NO MEU CORAÇÃO de Patrícia Pillar. Produção: Mariza Leão e Patrícia Pillar por Anima I Produções Artísticas.

MELHOR LONGA–METRAGEM INFANTIL
GRILO FELIZ E OS INSETOS GIGANTES, O de Walbercy Ribas e Rafael Ribas. Produção: Juliana Ribas por Start Desenhos Animados.
XUXA EM O MISTÉRIO DE FEIURINHA de Tizuka Yamazaki. Produção: Eliana Soárez, Pedro Buarque de Hollanda e Ricardo Rangel por Conspiração Filmes, Xuxa Meneghel, Mônica Muniz e Luiz Cláudio Lopes Moreira por Xuxa Produções.

MELHOR LONGA–METRAGEM ANIMAÇÃO
GRILO FELIZ E OS INSETOS GIGANTES, O de Walbercy Ribas e Rafael Ribas. Produção: Juliana Ribas por Start Desenhos Animados.

MELHOR DIREÇÃO
ANNA MUYLAERT por É Proibido Fumar
CLAUDIO TORRES por A Mulher Invisível
DANIEL FILHO por Se Eu Fosse Você 2
DANIEL FILHO por Tempos de Paz
HEITOR DHALIA por À Deriva

MELHOR ATRIZ
ANDREA BELTRÃO como Verônica por Verônica
DEBORA BLOCH como Clarice por À Deriva
GLÓRIA PIRES como Baby por É Proibido Fumar
GLÓRIA PIRES como Helena por Se Eu Fosse Você 2
LILIA CABRAL como Mercedes por Divã

MELHOR ATOR
DAN STULBACH como Clausewitz por Tempos de Paz
DANIEL DE OLIVEIRA como Santinho por A Festa da Menina Morta
SELTON MELLO como Jean Charles por Jean Charles
SELTON MELLO como Pedro por A Mulher Invisível
TONY RAMOS como Claudio por Se Eu Fosse Você 2
TONY RAMOS como Segismundo por Tempos de Paz

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
DENISE WEINBERG como Ruiva por Salve Geral
DIRA PAES como Diana por A Festa da Menina Morta
DRICA MORAES como Silvinha por Os Normais 2 – A Noite Mais Maluca de Todas
FERNANDA TORRES como Lúcia por A Mulher Invisível
LEANDRA LEAL como Georgina por Se Nada Mais Der Certo

MELHOR ATOR COADJUVANTE
ARY FONTOURA como Padre Henrique por Se Eu Fosse Você 2
CASSIO GABUS MENDES como Nelsinho por Se Eu Fosse Você 2
CHICO DIAZ como camelô por O Contador de Histórias
GERO CAMILO como sacristão por Hotel Atlântico
VLADIMIR BRICHTA como Carlos por A Mulher Invisível

MELHOR DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA
LAURO ESCOREL por O Contador de Histórias
LULA CARVALHO por Budapeste
RICARDO DELLA ROSA por À Deriva
TUCA MORAES por Tempos de Paz
WALTER CARVALHO por A Erva do Rato

MELHOR DIREÇÃO DE ARTE
CLAUDIO AMARAL PEIXOTO por Besouro
GUTA CARVALHO por À Deriva
MARCOS FLAKSMAN por Budapeste
MARCOS FLAKSMAN por Tempos de Paz
VERA HAMBURGER por Salve Geral

MELHOR FIGURINO
ALEXANDRE HERCHCOVITCH por À Deriva
BIA SALGADO por Besouro
KIKA LOPES por Budapeste
MARCELO PIES por A Mulher Invisível
MARÍLIA CARNEIRO por Tempos de Paz

MELHOR MAQUIAGEM
ANTONIO PACHECO por Um Lobisomem na Amazônia
MARCOS FREIRE por A Festa da Menina Morta
MARTÍN MACIAS TRUJILLO por Besouro
MARTÍN MACIAS TRUJILLO por A Mulher Invisível
MARTÍN MACIAS TRUJILLO por Salve Geral
ROSE VERÇOSA por Tempos de Paz

MELHOR EFEITO VISUAL
MARCELO SIQUEIRA, ABC por Besouro
MARCELO SIQUEIRA, ABC por Se Eu Fosse Você 2
MARCELO SIQUEIRA, ABC por Tempos de Paz
MARCELO SIQUEIRA, ABC e ROBSON SARTORI por Salve Geral
TAMIS LUSTRE por À Deriva

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL
ADRIANA FALCÃO, CLAUDIO PAIVA, CLAUDIO TORRES e MARIA LUISA MENDONÇA por A Mulher Invisível
ADRIANA FALCÃO, EUCLYDES MARINHO e RENÉ BELMONTE por Se Eu Fosse Você 2
ANNA MUYLAERT por É Proibido Fumar
HILTON LACERDA e MATHEUS NACHTERGAELE por A Festa da Menina Morta
JOSÉ ROBERTO TORERO, LUIZ VILLAÇA, MARIANA VERÍSSIMO e MAURÍCIO ARRUDA por O Contador de Histórias

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO
AUGUSTO BOAL, CHICO ANYSIO e ZELITO VIANA por Bela Noite Para Voar. Adaptado da obra “Bela Noite Para Voar” de Pedro Rogério Moreira
BOSCO BRASIL por Tempos de Paz. Adaptado da obra “Novas Diretrizes em Tempos de Paz” de Bosco Brasil.
MARCELO SABACK por Divã. Adaptado da obra “Divã” de Martha Medeiros
RITA BUZZAR por Budapeste. Adaptado da obra “Budapeste” de Chico Buarque de Hollanda
SUZANA AMARAL por Hotel Atlântico. Adaptado da obra “Hotel Atlântico” de João Gilberto Noll

MELHOR MONTAGEM DE FICÇÃO
DIANA VASCONCELOS por Divã
DIANA VASCONCELOS por Se Eu Fosse Você 2
DIANA VASCONCELOS por Tempos de Paz
GUSTAVO GIANI por À Deriva
GUSTAVO GIANI por Besouro
PAULO SACRAMENTO por É Proibido Fumar
SERGIO MEKLER por A Mulher Invisível

MELHOR MONTAGEM DE DOCUMENTÁRIO
BRANCO MELLO e OSCAR RODRIGUES ALVES por Titãs, A Vida Até Parece Uma Festa
DIANA VASCONCELLOS por Palavra (En)cantada
FELIPE LACERDA por Garapa
KAREN AKERMAN e PEDRO DURAN por Simonal – Ninguém Sabe o Duro que Dei
PAULO HENRIQUE FONTENELLE por Loki – Arnaldo Baptista

MELHOR SOM
ALESSANDRO LAROCA, ARMANDO TORRES JR e JOSÉ MOREAU LOUZEIRO por Besouro
ALESSANDRO LAROCA, ARMANDO TORRES JR, RENATO CALAÇA e VALÉRIA FERRO por À Deriva
BRANKO NESKOV, LEANDRO LIMA, MIGUEL LIMA e VASCO PEDROSO por Budapeste
CARLOS TORÉ por Loki – Arnaldo Baptista
DENILSON CAMPOS e PAULO RICARDO NUNES por Simonal – Ninguém Sabe o Duro que Dei

MELHOR TRILHA SONORA
CAETANO VELOSO por Coração Vagabundo
GUTO GRAÇA MELO por Divã
MARCIO NIGRO por É Proibido Fumar
OS PARALAMAS DO SUCESSO por Herbert de Perto
TITÃS por Titãs, A Vida Até Parece Uma Festa

MELHOR TRILHA SONORA ORIGINAL
ANDRÉ ABUJAMRA e MÁRCIO NIGRO por O Contador de Histórias
ARNALDO BAPTISTA por Loki – Arnaldo Baptista
BERNA CEPPAS por Simonal – Ninguém Sabe o Duro que Dei
EGBERTO GISMONTI por Tempos de Paz
LEO GANDELMAN por Budapeste

MELHOR CURTA-METRAGEM FICÇÃO
BOOKER PITTMAN dirigido por Rodrigo Grota
CEDRO DO LÍBANO dirigido por Conrado Krainer
DISTRAÇÃO DE IVAN, A dirigido por Cavi Borges e Gustavo Melo
ELO dirigido por Vera Egito
Ô dirigido por Marcelo Coutinho
SUPERBARROCO dirigido por Renata Pinheiro

MELHOR CURTA-METRAGEM DOCUMENTÁRIO
ARQUITETURA DO CORPO dirigido por Marcos Pimentel
DE VOLTA AO QUARTO 666 dirigido por Gustavo Spolidoro
NÓS SOMOS UM POEMA dirigido por Sergio Sbragia e Beth Formaggini
OLHOS DE RESSACA dirigido por Petra Costa
SWEET KAROLYNNE dirigido por Ana Bárbara Ramos

MELHOR CURTA-METRAGEM ANIMAÇÃO
ANÃO QUE VIROU GIGANTE, O dirigido por Marcelo Marão
DIVINO, DE REPENTE dirigido por Fábio Yamaji
JURO QUE VI: O SACI dirigido por Humberto Avelar
MENINO QUE PLANTAVA INVERNOS, O dirigido por Victor-Hugo Borges
PRINCESA E O VIOLINISTA, A dirigido por Guto Bozzetti

MELHOR LONGA-METRAGEM ESTRANGEIRO
AVATAR (Avatar, ficção, EUA) - dirigido por James Cameron. Distribuição: Fox Film do Brasil.
BASTARDOS INGLÓRIOS (Inglourious Basterds, ficção, EUA) - dirigido por Quentin Tarantino. Distribuição: Universal Pictures/Paramount Pictures .
GRAN TORINO (Gran Torino, ficção, EUA) - dirigido por Clint Eastwood. Distribuição: Warner Bros. Pictures.
MILK – A VOZ DA IGUALDADE (Milk, ficção, EUA) - dirigido por Gus Van Sant. Distribuição: Universal Pictures/Paramount Pictures.
QUEM QUER SER UM MILIONÁRIO? (Slumdog Millionaire, ficção, Inglaterra) - dirigido por Danny Boyle. Distribuição: Europa Filmes.

MELHOR LONGA-METRAGEM DE FICÇÃO
À DERIVA de Heitor Dhalia. Produção: Andrea Barata Ribeiro, Bel Berlinck e Fernando Meirelles por O2 Filmes.
DIVÃ de José Alvarenga Jr.. Produção: Iafa Britz, Marcos Didonet, Vilma Lustosa e Walkiria Barbosa por Total Entertainment.
É PROIBIDO FUMAR de Anna Muylaert. Produção: Anna Muylaert, Maria Ionescu e Sara Silveira por Dezenove Filmes.
MULHER INVISÍVEL, A de Claudio Torres. Produção: Claudio Torres por Conspiração Filmes.
SE EU FOSSE VOCÊ 2 de Daniel Filho. Produção: Iafa Britz, Marcos Didonet, Vilma Lustosa e Walkiria Barbosa por Total Entertainment e Daniel Filho.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG