Relembre como o lixo tem sido retratado nas telas e nos palcos

Documentários, filmes, novelas e até uma peça: aterros sanitários servem de locação e inspiração para diferentes formas de arte

Valmir Moratelli, iG Rio de Janeiro |

Divulgação/TV Globo
Novela "Avenida Brasil", da TV Globo
Novela “Avenida Brasil” (2012)
Já no primeiro capítulo, deu para perceber que o lixão seria um dos cenários principais da novela das nove da Globo, “Avenida Brasil” , de João Emanuel Carneiro. Apesar de não ser ambientada em Jardim Gramacho, foi no aterro sanitário fluminense que o autor buscou referências para o cenário caótico e vulgar da primeira fase da trama. Uma réplica de Gramacho foi montada na cidade cenográfica do Projac.

Leia também: Realidade e mito nos últimos dias do lixão de Gramacho

Filme “Lixo Extraordinário” (2010)
Premiado no Festival de Berlim de 2010, o documentário faz uma análise sobre o trabalho do artista plástico Vik Muniz no Jardim Gramacho, localizado na cidade de Duque de Caxias (RJ), um dos maiores aterros sanitários do mundo. Tem direção de Lucy Walker, João Jardim e Karen Harley.

Divulgação
Em Gramacho: realização de uma das obras do artista brasileiro Vik Muniz
Filme “Estamira” (2004)
Trabalhando há duas décadas no Jardim Gramacho, no Rio de Janeiro, Estamira Gomes de Sousa foi a protagonista do documentário de Marcos Prado. A mulher então com 63 anos, sofrendo de distúrbios mentais, com seu discurso filosófico e poético, em meio a frases sem sentido, analisa questões de interesse global. Estamira faleceu no final de 2011 e se tornou símbolo dos “sobreviventes” do lixão.

Divulgação
Imagem do documentário "Estamira"
Peça “Estamira – Beira do Mundo” (2012)
Uma catadora de lixo, doente mental crônica, com uma percepção do mundo surpreendente e devastadora. Dani Barros e Beatriz Sayad adaptaram o documentário de Marcos Prado, sobre a história real de uma mulher descoberta em Gramacho. A peça está em cartaz no Teatro Leblon (Rua Conde Bernadotte, 26 – Leblon, RJ. Tel. 21 2529 7700).

Filme “As crianças do lixão” (2011)
O cineasta Robert Ziehe mostra as condições precárias de sobrevivência dos mais de 50 mil moradores da comunidade ao redor de Jardim Gramacho. A ideia era mostrar como vivem e quais são as aspirações das pessoas que tiram seu sustento do que a sociedade joga fora.

Novela “Passione” (2010)
O clipe de abertura de “Passione”, da TV Globo, teve assinatura de Vik Muniz, que produziu instalações feitas com o lixo de Jardim Gramacho, a partir da foto de um casal se beijando. As obras foram filmadas pelo designer Hans Donner, tendo como música "Aquilo que dá no coração", de Lenine. A trama de Silvio de Abreu teria um núcleo em uma indústria de reciclagem, mas o tema não foi desenvolvido.

Mariana Vianna/ Divulgação
As crianças do lixão
Novela “Da cor do pecado” (2004)
A novela de João Emanuel Carneiro teve várias cenas gravadas no Aterro de Gericinó, em Bangu, zona oeste do Rio. Mas foi uma personagem real que roubou a cena. Cristiane Andrade ficou conhecida em 2004 como a “Musa do Lixão”. A ex-catadora foi descoberta por Giovanna Antonelli, durante as gravações de “Da cor do pecado”. Ela cumpriu um ano de contrato com uma agência de modelo e depois virou garçonete em um bar de São Paulo.

Filme “À Margem do Lixo” (2008)
O documentário acompanha a rotina dos catadores de papel e materiais recicláveis na cidade de São Paulo. Transitando pela cidade, o filme mostra a articulação política da categoria, especialmente em torno do Movimento Nacional de Catadores de Materiais Recicláveis (MNCR), e a importância deles na preservação do meio ambiente.

Divulgação
À Margem do lixo

    Leia tudo sobre: jardim gramacholixaoaterro sanitarioestamirareciclagemcatadorescomlurb

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG