Animal foi resgatado por oficiais do Departamento Florestal depois de procurar alimento no vilarejo; ele não atacou ninguém e está sendo tratado

O leopardo foi capturado por oficiais do departamento florestal e será solto após passar por tratamento
Reprodução/NDTV
O leopardo foi capturado por oficiais do departamento florestal e será solto após passar por tratamento

Um grande leopardo, que apresentava um machucado na região dos olhos, se perdeu e acabou em um vilarejo no contato de Xinlong, no sudoeste da China. Segundo informações da emissora NDTV , o animal teria chegado ao local em busca de alimentos e não atacou ninguém.

Leia também: "Peixe-pássaro"? Criatura é capturada em rio da China e intriga pescadores

O caso aconteceu na última terça-feira (12) na província de Sichuan, onde os moradores foram surpreendidos pela presença do leopardo . Ele foi visto rosnando para as pessoas e também causou danos a uma propriedade, mas logo as autoridades foram chamadas para lidar com a situação.

Dez oficiais do Departamento Florestal da região atuaram para capturar o mamífero, que agora está sendo tratado por veterinários e será liberado na natureza assim que receber alta médica, como explicaram as autoridades responsáveis pelo caso.

Casos de interação entre humanos e felinos têm se tornado cada vez mais frequentes na China e em outros países asiáticos, como a Índia. As causas para tais situações são diversas, mas especialistas avaliam que o avanço da ocupação humana no habitat natural dos animais faz com que o contato seja mais provável, assim como uma série de fatores que levam à diminuição da oferta de alimentos nos locais onde os mamíferos vivem.

Ataques de tigres na Índia

Essas situações deixaram uma região da Índia em alerta quando diversos ataques de tigres deixaram ao menos 22 pessoas mortas , em um ano, no distrito de Lakhimpur Kheri. De acordo com o portal  Daily Mail , a localidade fica próxima de florestas declaradas reservas ambientais em 2014, o que tem aumentado o número de felinos na região.

A situação é considerada um impasse nacional: mais de 22 pessoas foram mortas e, em contrapartida, as autoridades explicam que a criação das reservas foi a responsável por dobrar a população de animais ameaçados de extinção .

O governo decidiu pagar um milhão de rúpias (cerca de R$ 50 mil) para as famílias das vítimas mortas fora das reservas, mas os moradores reclamam da ineficiência dos guardas florestais, que não conseguem conter a situação. 

Leia também: Ouriços-do-mar enxergam "pelos pés" e têm visão turva, revela estudo

Para especialistas, as mortes só serão controladas com um melhor planejamento das medidas florestais: com a criação de “corredores verdes”, por exemplo, para que animais como os tigres possam se movimentar, isso evitaria o contato com os humanos da região. No caso do  leopardo  na China, ninguém ficou ferido além do animal, que já apresentava ferimentos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.