Tamanho do texto

Depois de muito mistério, uma pesquisa da Universidade de Lund explicou que os "tentáculos" dos ouriços cumprem funções básicas de sobrevivência

Pesquisadores comprovam que ouriços-do-mar enxergam por meio de tubos localizados nos pés, porém têm visão fraca
Reprodução/Shutterstock
Pesquisadores comprovam que ouriços-do-mar enxergam por meio de tubos localizados nos pés, porém têm visão fraca

Quando os ouriços-do-mar se sentem ameaçados, eles se protegem com seus espinhos. Entretanto, por muito tempo, biólogos e pesquisadores ficaram intrigados por não saberem como esses animais enxergavam seus rivais para se defender.

Leia também: Filhote 'mutante' de ovelha nasce na Austrália e deixa fazendeiro chocado

Em uma pesquisa realizada em 2011, o mistério foi desvendado e os estudiosos puderam comprovar que sim, os ouriços-do-mar  enxergam "pelos pés". Agora, pesquisadores da Universidade de Lund, na Suécia, querem saber a potência da visão desses invertebrados marinhos, e como isso influencia em seus mecanismos de proteção.

Ouriços-do-mar enxergam pelos pés e se abrigam em locais escuros

O estudo identificou que os "tentáculos" dos pés dos ouriços cumprem funções básicas de sobrevivência, ou seja, não são considerados um diferencial. "Ouriços são atualmente, as únicas criaturas que enxergam sem olhos. Isso se dá porque suas vistas estão localizadas nos pés", explicou o pesquisador John Kirwan ao Daily Mail .

Leia também: Cientistas britânicos identificam "nuvens de diamantes" brilhando na Via Láctea

Segundo Kirwan, os ouriços possuem células sensíveis à luz em seus pés, que se assemelham a tentáculos. E com a quantidade numerosa de espinhos, escondem os ‘tubos oculares’ na parte de baixo do corpo. “Pode-se dizer que esteticamente o ouriço-do-mar seja considerado um olho gigante”, brincou.

Os pesquisadores estudaram as criaturas marinhas por alguns meses e realizaram um experimento similar a um exame oftalmológico humano. Eles colocaram os animais dentro de um cilindro iluminado e os rodearam com diferentes imagens com tons escuros que imitavam predadores.

“Normalmente, os ouriços-do-mar se movem em direção a áreas escuras para procurar abrigo. Com o experimento detectamos que eles reagiram melhor a algumas figuras do que a outras, o que explicitou a fragilidade da visão deles”.

A equipe afirmou que, para que um ouriço consiga identificar e enxergar de fato um objeto, é necessário que esteja próximo a ele, entre 30 e 70 graus. Enquanto que, para os humanos, basta 1/60 de um grau para detectar o objeto.

Leia também: Proteínas influenciam no comportamento das "abelhas assassinas", revela estudo

“A visão dos ouriços-do-mar é fraca se comparada à humana. No entanto, mesmo com a falta de potência, cumpre muito bem suas funções e o ajudam a sobreviver e sair de emboscadas e ataques de predadores. É importante lembrar que uma visão ruim não a faz inexistente”, conclui Kirwan.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.