Em meio à greve da PM, Salvador tem 18 homicídios em seis horas

Greve de policiais militares e bombeiros da Bahia começou na terça-feira (31); um dia antes 11 pessoas foram assassinadas em 24 horas

iG São Paulo |

Entre 00h12 e 6h41 desta sexta-feira, quarto dia de greve de parte da Polícia Militar no Estado da Bahia, 18 pessoas foram assassinadas na cidade de Salvador e região metropolitana. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, no dia 30, antes de ter início a paralisação dos policiais, foram registrados 11 homicídios, em 24 horas.

Reforço: Exército vai às ruas e comércio volta a funcionar na Bahia

Saques: Com a PM em greve, bandidos saqueiam lojas na Bahia

O número é mais que o triplo da média diária de assassinatos registrados na cidade no ano passado (4,2). A assessoria de imprensa da SSP afirmou ser impossível fazer o levantamento do número de homicídios em todo o Estado e que o aumento de assassinatos ainda não pode ser relacionado com a greve policial.

Entre os casos, foi registrada uma chacina no bairro de Engomadeira que deixou três homens mortos e um ferido. De acordo com a Polícia Civil, as vítimas tinham envolvimento com o tráfico de drogas. Outro caso foi o assassinato de um percussionista do Olodum, Denilton Cerqueira, de 34 anos. Segundo relatos, ele teria sido abordado por dois homens quando chegou em casa, no bairro da Mata Escura, em sua moto. Os homens teriam roubado o veículo e atirado em seguida no músico, que não resistiu aos ferimentos.

AE
Agentes da Força Nacional na chegada a Salvador
Nesta manhã, tropas do Exército começaram a chegar às ruas do centro de Salvador e de Feira de Santana para fortalecer a segurança nos locais. Com o reforço dos militares, os comerciantes, que hesitavam em abrir as portas em algumas áreas da capital e em todo o centro de Feira de Santana, voltaram a trabalhar normalmente.

Durante a madrugada, pelo menos cinco lojas de eletrodomésticos foram saqueadas em bairros centrais de Salvador. Segundo testemunhas, grupos grandes, de mais de 30 pessoas, a maioria encapuzada e algumas armadas, promoveram o arrombamento e o furto de mercadorias dos estabelecimentos, que estavam fechados na hora dos ataques

Policiais militares afiliados à Associação de Policiais e Bombeiros e de Seus Familiares do Estado da Bahia (Aspra) estão em greve desde a tarde do dia 31 . Eles reivindicam a criação de um plano de carreira e melhores condições de trabalho.

Por causa da greve, o governador Jaques Wagner decidiu fazer um pronunciamento, na rede estadual de rádio e TV, às 20 horas. Segundo nota distribuída pela assessoria do governo, Wagner "reafirmará, com veemência, que o governo da Bahia está adotando todas as providências no sentido de assegurar o pleno estado de direito democrático, a segurança e a tranquilidade da população".

AE
Quatro corpos foram encontrados na Avenida Jorge Amado, no Imbuí, Salvador, nesta sexta-feira

* Com informações da AE

    Leia tudo sobre: greve da pmbahiahomicídiossaquessalvador

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG