Bolsonaro e Pazuello
Reprodução
Postura do presidente Bolsonaro sobre decisão do Ministério da Saúde pode ter contribuído para afastamento

A relação entre o presidente Jair Bolsonaro e os militares de alta patente no país, um dos pontos fortes durante o período eleitoral, pode estar ameaçada. De acordo com o colunista Chico Alves, do Uol, os conflitos frequentes entre o presidente e os generais dentro do governo podem estar próximos a uma situação-limite.

Desde os primeiros meses do governo, os confilitos da ala militar com os filhos do presidente e o astrólogo Olavo de Carvalho - considerado guru do presidente - se tornaram evidentes. Agora, o desentendimento entre o presidente e o general Eduardo Pazuello, ministro da Saúde, pode ser um novo motivo para ruptura ou afastamento.

Pela primeira vez, de acordo com o colunista, generais da reserva foram às redes sociais para criticar a gestão de Bolsonaro. A submissão do ministro Pazuello também foi alvo de críticas. O desentendimento entre o ministro Ricardo Salles, do Meio Ambiente, e o general Luiz Eduardo Ramos, da secretaria do governo, também foi bastante criticado.

Em artigo publicado no jornal Correio Braziliense, o general Otávio do Rêgo Bastos - que costumava atuar como porta-voz do governo - criticou o comportamento do presidente nos últimos meses, afirmando que o poder "inebria, corromple e destrói" e chegando a fazer uma analogia com imperador romano César.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários