Ministro do STF, Luís Roberto Barroso
Fernando Frazão/Agência Brasil - 12.11.2018
Ministro do STF, Luís Roberto Barroso

Nesta quinta-feira (4), o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu por prorrogar em mais 60 dias um dos inquéritos gerados pela CPI da Covid-19 contra o presidente Jair Bolsonaro (PL).

Neste processo em questão, o mandatário e alguns integrantes da base aliada são investigados por incitação ao crime.

Com aval da Procuradoria-Geral da República (PGR), o pedido para prolongar a investigação partiu da Polícia Federal.

“Defiro o pedido de prorrogação do prazo para continuidade das investigações, por mais 60 dias, nos termos formulados pela Procuradoria-Geral da República. Com relação ao acesso os arquivos produzidos pela CPI, verifico que tais arquivos já foram compartilhados neste feito pelo Senado em atenção a requerimento da Procuradoria-Geral da República”, diz o despacho.

Apesar de conceder a prorrogação pedida pela vice-procuradora-geral da República, Lindôra Araujo, Barroso discordou no prazo solicitado pelo Ministério Público.

A PGR queria que o prazo fosse prolongado por mais 90 dias para investigar as supostas práticas de incitação ao crime durante a época de combate à Covid.

Além de Bolsonaro, também são alvos do inquérito: Onyx Lorenzoni, Flávio Bolsonaro, Ricardo Barros, Eduardo Bolsonaro, Osmar Terra, Bia Kicis, Carla Zambelli e Carlos Roberto Coelho de Mattos Júnior.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários