Lula diz que Bolsonaro tem 'medo do povo' quando critica urnas eletrônicas
Reprodução/Youtube
Lula diz que Bolsonaro tem 'medo do povo' quando critica urnas eletrônicas

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, candidato do PT ao Palácio do Planalto, reagiu neste sábado aos ataques do presidente Jair Bolsonaro (PL) ao Supremo Tribunal Federal e às urnas eletrônicas e atribuiu ao "medo" do adversário de sofrer uma "surra" nas eleições deste ano. Em discurso durante evento em Fortaleza, no Ceará, o petista ainda chamou o atual presidente de "troglodita" e "mentiroso".

"O Bolsonaro está todo dia brigando com a Suprema Corte e a Justiça, dizendo que a urna não presta. Ele ja foi eleito dez vezes. Ele não está com medo da urna, está com medo do povo nordestino, do Sul, que vai dar uma surra nele que ele nunca mais vai esquecer", afirmou Lula.

No evento em que lançou a candidatura de Elmano Férrer (PT) ao governo cearense, Lula disse que "está voltando" e que Bolsonaro criou Auxílio Brasil — programa de transferências de renda que substituiu o Bolsa Família — para tentar ganhar as eleições.

"Queria dizer que esse troglodita, se conhecesse o povo brasileiro, ia saber que se cair dinheiro na conta pegue e coma, porque se não eles tomam, vão ficar com o dinheiro. A lei diz que (o auxílio) é só até dezembro, e quem pode garantir benefício pelo resto da vida é quem você conhece, que já fez o Luz para Todos, a transposição do São Francisco, mais universidade, escolas técnicas, quem aumentava ao salário mínimo todo ano", afirmou o petista.

A ida de Lula ao Ceará ocorre em um contexto de racha da aliança histórica entre PT e PDT no estado. O rompimento entre os partidos no cenário local ocorreu após Ciro Gomes (PDT), adversário de Lula na disputa nacional, minar a candidatura à reeleição da atual governadora, Izolda Cela (PDT), para lançar o nome de Roberto Cláudio (PDT) ao cargo. O ato de Ciro gerou desavença entre a própria família Gomes, uma vez que seus irmãos Cid Gomes (PDT) e Ivo Gomes (PDT), aliados do ex-governador petista Camilo Santana (PT), apoiavam o nome de Cela.

Durante seu discurso, Camilo, que é candidato ao Senado, mandou recados sobre a rusga com Ciro e prestou "solidariedade" a Cela.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

"Gostaria de saudar uma pessoa que não está aqui, e que durante 7 anos e 3 meses esteve ao meu lado em todos os momentos. Uma mulher extraordinária, que é responsável pela educação do Ceará. Queria pedir uma salva de palmas para a primeira mulher governadora do estado do Ceará, Izolda Cela" disse Santana.

"Se tem uma coisa que aprendi na minha vida é gratidão e queria fazer uma homenagem a um irmão-amigo que fez muito por esse Ceará. Ninguém vai me separar dele jamais, queria pedir salva de palmas ao querido Cid Gomes, ex-governador do Ceará, e dizer a ele que ninguém nos separa. (Queria dizer) da minha amizade e gratidão a esse cearense que tanto fez pelo estado do Ceará", concluiu.

A governadora e Cid Gomes foram citados também por Lula. Segundo o ex-presidente, a governadora "sofreu um impeachment sem ser impeachment" ao ter sua candidatura rejeitada pelo PDT de Ciro.

"Quero deixar um beijo para companheira Izolda, que, na verdade, sofreu impeachment sem ser impechment. Ela só queria dar sequência (ao governo), porque no Brasil não tem ninguém com a competência educadora que tem a companheira Izolda. Minha solidariedade à companheira", elogiou Lula, que também mandou recados a Ciro.

"A gente tem que ser leal a quem é leal com a gente, ser companheiro de quem foi companheiro da gente. E a gente não tem que falar mal de quem fala mal de nós. A gente tem que falar bem de quem fala bem de nós, porque falar bem é muito mais proveitoso".


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários