Ricardo Barros foi um dos alvos da CPI da Covid
Pedro França/ Agência Senado
Ricardo Barros foi um dos alvos da CPI da Covid

A Procuradoria-Geral da República (PGR) pediu o arquivamento de uma das dez investigações preliminares abertas a partir do relatório final da CPI da Covid. Esse caso apurava suspeitas do crime de advocacia administrativa por parte do líder do governo Bolsonaro na Câmara, deputado Ricardo Barros (PP-PR).

Desde a aprovação do relatório final da comissão, em outubro do ano passado, a equipe do procurador-geral da República Augusto Aras abriu dez processos no Supremo Tribunal Federal para analisar as provas produzidas pela CPI, mas não tomou nenhuma providência efetiva pela punição dos alvos. Esse é o primeiro pedido de arquivamento apresentado nesses processos.

Na manifestação, a vice-procuradora-geral da República Lindôra Araújo afirmou que a CPI não apresentou provas suficientes para abertura de inquérito ou apresentação de denúncia contra Ricardo Barros. Por isso, argumentou, a PGR decidiu pedir o arquivamento e encerrar o caso. O pedido foi enviado à ministra do STF Rosa Weber, relatora do processo.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários