TSE aprova criação da federação entre PSDB e Cidadania
Reprodução
TSE aprova criação da federação entre PSDB e Cidadania

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou, nesta quinta-feira (26), a criação da federação partidária entre PSDB e Cidadania. O pedido foi apresentado no último dia 11 deste mês e relatado pelo ministro Ricardo Lewandowski.

Nas federações, os partidos são obrigados a se manter unidos como uma única sigla por pelo menos quatro anos. As federações partidárias são diferentes das coligações. Nas coligações, a aliança política se dá somente durante o período eleitoral.

Pela atual composição da Câmara dos Deputados, a federação PSDB-Cidadania será a oitava maior bancada da Casa, com 31 parlamentares.

"Para nós do PSDB é uma grande honra estarmos agora junto com o Cidadania (...) a federação nasce com o objetivo de cumprir o papel democrático", afirmou Bruno Araújo, presidente nacional do PSDB.

Eleição presidencial

O Cidadania já anunciou apoio à pré-candidata do MDB, Simone Tebet. O PSDB, cujo pré-candidato era o ex-governador de São Paulo João Doria, também negocia apoio à senadora, mas ainda sem oficialização.

Ameaçado pela cláusula de desempenho, o Cidadania aprovou em fevereiro a ideia de compor federação com outras siglas.

Entenda a Federação Partidária 

A federação de partidos foi aprovada em agosto de 2021 pelo Congresso Nacional. O modelo permite a união de siglas com afinidade ideológica, sem a necessidade de fundir os diretórios.

As federações permitem que dois ou mais partidos se unam, funcionando como se fossem uma única legenda. Os partidos que formam uma federação precisam se manter unidos de forma estável durante pelo menos quatro anos e seguir as mesmas regras do funcionamento parlamentar e partidário.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários