Dirigentes do MDB, PSDB e Cidadania discutem candidatura única da terceira via
Reprodução/Redes Sociais 11.05.2022
Dirigentes do MDB, PSDB e Cidadania discutem candidatura única da terceira via

A pesquisa que deve nortear a escolha de uma candidatura única da terceira via à presidência da República deve ser apresentada no próximo dia 18. O anúncio foi feito nesta quinta-feira por MDB, PSDB e Cidadania , cujos dirigentes tentam chegar a um acordo para viabilizar uma chapa alternativa à polarização.

O levantamento deve ser realizado pelo Instituto Guimarães Pesquisa e Planejamento e deve levar em consideração tanto critérios de pesquisa quantitativa, quanto qualitativa.

A discussão sobre a candidatura, no entanto, está cercada de divergências entre os partidos e pré-candidatos como a senadora  Simone Tebet (MDB-MS) e o ex-governador João Doria (PSDB).

O MDB e Tebet querem que a decisão leve em consideração o potencial de crescimento do candidato em pesquisas qualitativas, o que colocaria Doria em desvantagem. Isto porque o paulista precisa aplacar uma rejeição de quase 30%, a mais alta entre os nomes de centro.

Doria defendia que a definição do candidato tome como base pesquisas quantitativas, já que na média dos levantamentos ele pontua melhor que Tebet.

A proposta dos parâmetros foi apresentada pelo MDB e acabou aceito pelas outras siglas, o que foi lido internamente como mais um sinal de enfraquecimento de Doria.

O paulista tentou protagonizar as negociações, mas acabou isolado e viu alguns de seus aliados darem carta branca para que o presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo, siga à frente das negociações.

Araújo acumula desavenças com Doria e foi demitido da coordenação de campanha de Doria. Ainda assim, na última terça-feira, a bancada federal fez uma carta de apoio ao presidente do PSDB.

Hoje, pessoas próximas que acompanham as negociações avaliam que Tebet ganhou força no PSDB em razão da resistência interna que Doria enfrenta.

Ainda assim, a senadora também tem dificuldades no MDB e terá que dividir palanques nos estados com o ex-presidente Lula e o presidente Jair Bolsonaro. Nas últimas semanas, porém, Tebet conseguiu reunir apoio da maior parte dos diretórios do MDB e sua candidatura tem sido vista internamente como uma forma de pacificar sigla.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários