O general consultou Bolsonaro nesta tarde que concordou com a liberação dos dados
Valter Campanato/Agência Brasil
O general consultou Bolsonaro nesta tarde que concordou com a liberação dos dados

O presidente Jair Bolsonaro autorizou, nesta quinta-feira, a divulgação da entrada dos pastores Arilton Moura e Gilmar Santos como uma medida para estancar a nova crise no Palácio do Planalto, após O GLOBO revelar que o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) se recusou a fornecer as informações.

Após a repercussão do caso, o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, e o ministro Wagner Rosário, da Controladoria-Geral da República se reuniram hoje.

Na reunião, Rosário alertou Heleno que a tendência era o órgão determinar a divulgação dos dados. O chefe do GSI, por sua vez, propôs se antecipar para debelar a nova crise política em ano eleitoral, antes da decisão da CGU.

De acordo com integrantes do Planalto, o general consultou Bolsonaro nesta tarde que concordou com a liberação dos dados, apesar da lista mostrar a visita dos dois pastores em na Secretaria de Governo e na Casa Civil.

A orientação no governo é que as consultas agora sobre o motivo das visitas sejam feitas diretamente aos ministérios. Embora indiquem o local da visita, o registro da portaria divulgado pelo GSI não determina quais foram as pessoas que receberam os pastores.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários