Prefeito do Rio, Eduardo Paes
Reprodução
Prefeito do Rio, Eduardo Paes

Há 1 ano e três meses à frente da prefeitura do Rio, o prefeito Eduardo Paes (PSD) acumula, de acordo com a pesquisa do Datafolha, o seu maior índice de reprovação entre os cariocas desde o seu primeiro mandato. Segundo o estudo, publicado pela Folha de S. Paulo neste domingo (10), 36% das pessoas consideram a gestão atual como ruim ou péssima. O desempenho só não é pior que o de Marcelo Crivella (Republicanos), em 2018, e de César Maia (PSDB), em 1994.

A pesquisa aponta ainda que 21% dos cariocas definem a gestão de Paes até agora como ótima ou boa, enquanto 42% veem como regular. Dos entrevistados, 2% não responderam.

Em seus dois primeiros mandatos como prefeito do Rio, entre 2009 e 2016, as pesquisas indicaram uma popularidade maior. O Datafolha registrou que, no primeiro mandato, 35% dos cariocas consideravam a gestão boa ou ótima, e 37% na segunda gestão. No primeiro mandato, 21% dos moradores do Rio consideravam o governo ruim ou péssimo, número que subiu para 27% na segunda gestão.

Segundo o Datafolha, pesquisadores ouviram 644 cariocas acima de 16 anos, de todas as classes sociais e regiões da cidade. As entrevistas foram feitas entre a última terça-feira (5) e quinta-feira (7). A margem de erro é de até quatro pontos percentuais para ou para menos.

Leia Também

Paes tem enfrentado alguns desgastes em áreas importantes da administração pública, o que pode ajudar a explicar os números. Há poucos dias, garis da Comlurb entraram em greve por pouco mais de umasemana, exigindo reajuste salarial. O período coincidiu com fortes chuvas que atingiram a cidade e muito lixo pôde ser visto pelas ruas em diferentes regiões. Além disso, o prefeito também tem travado uma batalha contra empresas que operam os serviços de ônibus e BRT na cidade. Em meio ao embate, os moradores têm enfrentado uma série de paralisações da categoria, além de conhecidos problemas, como a falta de ônibus e veículos quebrados.

Baixa popularidade entre os mais pobres
Os números revelam ainda que a popularidade de Paes é proporcional à situação econômica dos entrevistados. Entre os que ganham até dois salários mínimos, 39% responderam que definem a gestão atual como ruim ou péssima. À medida em que se analisa perfis com maior poder aquisitvo, a reprovação diminui. Entre os que ganham mais de dez salários mínimos, apenas 23% reprovam o trabalho do prefeito.

Além disso, cerca de 40% dos pretos e dos pardos reprovam Paes, enquanto entre brancos a marca é bem diferente, de 25%. Os homens o acham pior do que as mulheres, mas há empate técnico por conta da margem de erro. Também avaliam mal a gestão do prefeito 46% dos desempregados e 40% dos autônomos ou assalariados sem registro.

No tabuleiro político que antecede as eleições para governador do Estado do Rio, em outubro, Paes ainda é mais rejeitado por quem pretende votar no governador Cláudio Castro (PL) ou em Anthony Garotinho (União Brasil) para o Palácio da Guanabara, e mais aprovado pelos eleitores do deputado federal Marcelo Freixo (PSB) e de Rodrigo Neves (PDT), o ex-prefeito de Niterói.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários