Bolsonaro:
Reprodução
Bolsonaro: "Moro passou a achar que era dono do Ministério da Justiça"

presidente Jair Bolsonaro (PL) concedeu entrevista à rádio Jovem Pan nesta segunda-feira (10) e teceu críticas ao seu ex-ministro de Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro (Podemos).

"Passei três dias para demitir essa mulher, ele passou a achar que era o dono do ministério", afirmou Bolsonaro. O episódio retratado pelo mandatário refere-se à indicação de Ilona Szabó - realizada pelo ex-juiz - para ocupar o cargo de Conselho Nacional de Política Penitenciária.

O presidente afirmou que tinha o poder de veto sobre quaisquer nomeações realizadas no ministério da Justiça e Segurança Pública e afirmou que Morou foi "petulante" ao aceitar uma troca na diretoria-geral da Polícia Federal em troca de uma futura indicação ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Bolsonaro também ressaltou que já pensa nas próximas indicações ao STF. Isso porque o próximo presidente eleito - no pleito de 2022 - terá o direito de nomear outros dois magistrados à Suprema Corte.

Leia Também


"Em 2023 têm duas vagas abertas. Eu tenho na minha cabeça quem seriam esses nomes. Os dois nomes meus que estão lá - ministros Kassio Nunes Marques e André Mendonça - não são perfeitos", afirmou Bolsonaro.

"Até o momento esses dois têm liberdade, obviamente. Não conduzo, nem peço voto para eles. Agora chegou lá o André Mendonça. Eu não estou antecipando voto, nem pedindo voto, mas ele participou disso tudo enquanto ministro meu na pasta da Justiça e Segurança Pública", alega o atual presidente da República.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários