Jair Bolsonaro ao lado dos filhos Flávio, Eduardo e Carlos
Roberto Jayme/Ascom/TSE
Jair Bolsonaro ao lado dos filhos Flávio, Eduardo e Carlos

Com a internação do presidente Bolsonaro na madrugada da última segunda-feira (3) , vários usuários nas redes sociais ironizaram o estado de saúde do mandatário. Postagens que desejavam a piora do estado de saúde chamaram atenção dos filhos do presidente e seus apoiadores, que posteriormente cobraram ações do Supremo Tribunal Federal (STF).

Em seu perfil no Twitter, o vereador Carlos Bolsonaro marcou a conta oficial do STF e questionou o "ódio do bem" ao repostar uma publicação feita por José de Abreu. 

Apoiadores do presidente seguiram o vereador e apontaram a possibilidade de ataques contra o Bolsonaro serem considerados discurso de ódio. 

Flávio Bolsonaro, senador e filho do chefe do Executivo, também se posicionou e disse ser "impossível não se indignar". 

O deputado Eduardo Bolsonaro criticou aqueles que acreditam que a facada sofrida por Bolsonaro em 2018 não foi real e disse que " isto jamais será dito que é discurso de ódio ou antidemocrático". 

Em outra publicação, o deputado afirmou que termos como "fake news" e "crime de ódio" foram criado pela esquerda para atribuir rótulos negativos aos opositores.

Leia Também

Em decisão, o ministro do STF Alexandre de Moraes já determinou a remoção de contas de bolsonaristas por discurso de ódio e manifestações antidemocráticas.






    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários