Governador de São Paulo, João Doria
Reprodução/Youtube
Governador de São Paulo, João Doria

O governador João Doria preferiu não rebater a acusação de compra de votos feita por seu principal rival nas prévias do PSDB , o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite. Nesta segunda-feira (22), o político gaúcho disse que "do outro lado" se vê "compra de votos , denúncias de pressões indevidas, suspensão de filiações, demissão de pessoas que não apoiam esse tipo de conduta".

Questionado sobre isso em coletiva de imprensa realizada hoje, Doria disse que "colocações dessa natureza" são normais em disputas políticas. "Não levei isso em consideração, acho que faz mais parte do calor da disputa", minimizou. O candidato também ressaltou que "não houve compra de votos". "Não houve nenhuma irregularidade e, se tivesse havido, denuncia-se, comprova-se", ressaltou.

Doria se pronunciou ao lado do ex-prefeito de Manaus, Arthur Virgílio , também candidato nas prévias. Os dois têm apresentado posicionamentos conjuntos, mas sem críticas ao rival gaúcho. "O tempo vai preparar o governador Leite pra outros momentos", disse Virgílio. "As pessoas disputando uma eleição às vezes perdem um pouco a cabeça, mas eu entendo que é dever do PSDB não desistir do governador Eduardo Leite. Eu o tenho como um quadro futuroso e que é uma pessoa que tem que ser trazida pro nosso redil. (...) A gente tem que puxar ele pra cá", defendeu.

Virgílio não citou quem representaria o lado oposto, mas, nos últimos dias, entrou em confronto com o deputado federal Aécio Neves (MG), influente apoiador de Leite nessa eleição. Para Virgílio, o tucano mineiro é hoje uma "maçã podre" no partido que precisa ser "desbolsonarizado".

Conclusão das prévias

Após a suspensão das prévias no último domingo (21), o PSDB anunciou a contratação de uma nova empresa de tecnologia para concluir o pleito interno. A expectativa é de que a conclusão seja feita até o próximo fim de semana, quando os filiados que não conseguiram acessar o aplicativo original poderão usar outra plataforma para escolher qual dos candidatos deve representar o partido na eleição presidencial de 2022.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários