Graciela Nienov, presidente em exercício do PTB
Reprodução
Graciela Nienov, presidente em exercício do PTB

A presidente em exercício do PTB, Graciela Nienov, tentou explicar num áudio a carta interna de Roberto Jefferson, revelada pelo GLOBO, na qual o líder do partido atacou o presidente Jair Bolsonaro e o senador Flávio Bolsonaro , seus aliados, e anunciou apoio ao vice-presidente Hamilton Mourão para presidente. Jefferson disse na carta que Bolsonaro cercou-se de "viciados em êxtase com dinheiro público" e que ele e seu filho se "viciaram em dinheiro público" também. Nienov afirmou nesta quinta-feira se tratar de um "desabafo" do presidente licenciado do partido, que está preso, mas admitiu que há no partido uma "revolta" com o abandono de Bolsonaro com o PTB.

"Há revolta! Eu também estou revoltada com o abandono do nosso presidente, confesso. Tentamos marcar agenda com ele, que não aceitou. Não quis nos receber no Palácio. E você vê teu líder (Jefferson) preso, em nome das liberdades, e acontece isso", disse Graciela Nienov na mensagem divulgada pelo partido.

A presidente justificou a carta de Jefferson como um "desabafo" e afirmou estar um "pouco triste" com a posição de Bolsonaro de se aproximar do PP e do PL.

Leia Também

"O presidente (Bolsonaro) não pode ir para o PP, metade (do PP) é de esquerda. O Nordeste todo está fechado com o PP. Gente, o PL tem um presidente (Valdemar da Costa Neto) que foi envolvido no mensalão, numa organização criminosa. Como um homem de bem pode ir para esses partidos?", disse a presidente do PTB.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários