Jair Bolsonaro e Hamilton Mourão na cerimônia de posse
Marcello Casal Jr/ Agência Brasil
Jair Bolsonaro e Hamilton Mourão na cerimônia de posse


O relator das ações que pedem o julgamento da chapa Jair Bolsonaro-Hamilton Mourão, ministro Luis Felipe Salomão, votou contra o pedido. O julgamento no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) teve início nesta terça-feira (26).


A chapa é acusada de abuso de poder econômico a partir do disparo de mensagens em massa na campanha eleitoral de 2018. 


Segundo o G1, Salomão concluiu que Bolsonaro tinha conhecimento das ilicitudes no disparo de mensagens, mas  entendeu que não havia provas sobre o teor das mensagens nem sobre quem as financiava. A coligação “O Povo Feliz de Novo” (PT, PCdoB e Pros), autora das ações, afirma que se tratavam de fake news contra o candidato Fernando Haddad (PT), financiadas por empresários como Luciano Hang, dono das lojas Havan. A defesa dos acusados diz que não há provas disso.

Leia Também


Após o voto do relator, o ministro Mauro Luiz Campbell Marques se pronunciou, seguindo o mesmo entendimento. De acordo com a publicação, o magistrado acredita que não há como comprovar o conteúdo ou a gravidade das mensagens. Na sequência, o ministro Sérgio Silveira Banhos deu um voto semelhante ao dos colegas.


Antes deles, o vice-procurador-geral eleitoral, Paulo Gonet, já havia defendido que não há razão para a cassação. Para ele, a investigação realizada não apontou um desequilíbrio na eleição de 2018.



Como outros ministros ainda precisam votar, o julgamento será retomado na próxima quinta-feira (28). Se o placar for revertido e a chapa for cassada, Bolsonaro e Mourão ficarão inelegíveis .

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários