Alessandro Vieira (Cidadania-SE)
Divulgação/Agência Senado/Pedro França
Alessandro Vieira (Cidadania-SE)

O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) anunciou que vai apresentar um relatório paralelo ao de Renan Calheiros (MDB-AL) na CPI da Covid. O texto foi protocolado nesta sexta-feira (15) e propõe o indiciamento do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e outras 17 pessoas.

O número de indiciados no texto do senador é menos da metade da quantia sugerida por Calheiros, que deve pedir o indiciamento de pelo menos 50 pessoas em seu parecer . Nomes como o de Bolsonaro , seus três filhos, Marcelo Queiroga, Wagner Rosário e Onyx Lorenzoni e Ricardo Barros (PP-PR) devem aparecer no documento.

Em seu relatório, Vieira resumiu a estratégia do governo em sete pontos: minimização da gravidade da pandemia; criação de uma falsa dicotomia entre saúde e economia; ações deliberadas para descredibilizar governadores, prefeitos e instituições; disseminação de notícias falsas; comportamento inadequado de líderes públicos; promoção deliberada de medicamentos sem eficácia comprovada; e descaso com os povos indígenas.

trecho do relatório
Reprodução

Trecho do relatório paralelo apresentado pelo senador Alessandro Vieira


O documento sugere o indiciamento de Bolsonaro por sete crimes: crime de responsabilidade, epidemia, infração de medida sanitária preventiva, charlatanismo, incitação ao crime e crime contra a humanidade. 

O senador também pediu novas investigações sobre o caso da vacina indiana Covaxin , para esclarecer se o presidente prevaricou na compra dos imunizantes.

Leia Também

De acordo com ele, os eventuais indiciados "exerceram função tangencial" na má gerência da pandemia no país.

"A chave para a distinção está no poder de decisão e no alcance da atuação de cada figura. Assim, por exemplo, parlamentares, médicos e empresários que se prestaram a desinformar reiteradamente a população, em uma mistura enojante de ignorância e bajulação, merecem o desprezo eterno dos brasileiros, mas não serão apontados como personagens centrais neste documento, o que não afasta as apurações em andamento no STF e na CPMI das Fake News", explicou Vieira.


Confira a lista de indiciados no relatório paralelo:

– Presidente Jair Bolsonaro;
– Ministro da Defesa, Walter Braga Netto;
– Ministro da Economia, Paulo Guedes;
– Líder do Governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR);
– Secretário de Política Econômica do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida;
– Ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello;
– Ex-secretário Executivo do Ministério da Saúde Antônio Élcio Franco Filho;
– Ex-coordenador do Centro de Coordenação de Operações Heitor Freire de Abreu;
– Secretária de Gestão, do Trabalho e de Educação na Saúde, Mayra Correia Pinheiro;
– Secretário Especial de Saúde Indígena, Robson Santos da Silva;
– Ex-ministro da Cidadania Onyx Lorenzoni;
– Ex-ministro de Relações Exteriores Ernesto Araújo;
– Ex-secretário Especial de Comunicação Social, Fábio Wajngarten;
– Representantes da Prevent Senior, Pedro Batista e Fernando Parillo;
– Virologista Paolo Zanotto;
– Coordenador da pesquisa Androcov, Flávio Cadegiani;
– Deputado federal Osmar Terra (MDB-RS).

*Em atualização

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários