Prevent Senior
Divulgação
Prevent Senior

Diante das denúncias sobre a  operadora de saúde Prevent Senior apresentadas durante a CPI da Covid , abriu-se uma nova Comissão Parlamentar de Inquérito para que as irregularidades informadas no Senado sejam investigadas. Esta CPI tem início nesta quinta-feira (14) na Câmara Municipal de São Paulo.

O primeiro enfoque, que será apurado pelos vereadores paulistanos, será a suspeita de subnotificação de casos de morte e infectados por Covid-19, ou seja, a omissão da operadora em não ter colocado o diagnóstico da doença nos prontuários dos pacientes. 

Segundo o presidente da CPI de São Paulo, Antonio Donato (PT), em entrevista a Veja, neste início das investigações será apurada também uma suposta orientação das autoridades da empresa para que médicos encontrassem formas de “diminuir o número de casos” de Covid-19 nos hospitais da rede.

Primeira oitiva

Nesta quinta, a primeira oitiva da CPI da Prevent Senior recebe Luiz Artur Vieira Caldeirão, coordenador da Vigilância Sanitária da Prefeitura, que deve prestar esclarecimentos sobre o controle da notificação de casos e óbitos feito pela Secretaria Municipal de Saúde.

Além do coordenador, o supervisor do Departamento de Uso e Ocupação do Solo, Carlos Roberto Candella, deve apresentar informações sobre sete hospitais da Prevent Senior na capital que estariam funcionando sem alvará. Pelo menos três já foram multadas pela Prefeitura, em R$ 260 mil.

Integrantes da Comissão

A CPI da Prevent Senior é composta por cinco vereadores e aglutina parlamentares de oposição e situação (como o líder do PSDB na casa, Xexéu Trípoli). Dois dos indicados são médicos (Paulo Frange, do PTB, e Milton Ferreira, do Podemos). Os cinco nomes indicados pelos blocos partidários majoritários da Casa são: 

  • Antonio Donato (PT)

    Leia Também

  • Paulo Frange (PTB)

  • Milton Ferreira (Podemos)

  • Xexéu Trípoli (PSDB)

  • Celso Gianazzi (PSOL)

Os vereadores solicitaram  compartilhamento de provas com a CPI da Covid e com o Ministério Público na semana passada, quando a comissão foi instalada. Ainda, o MP tem uma força-tarefa no estado, com cinco promotores, que investiga as denúncias contra a operadora.

A comissão tem prazo inicial é de 90 dias, que pode ser prorrogado pelo mesmo período. A expectativa dos vereadores é de que a CPI da Prevent Senior possa ser finalizada em 120 dias.

As reuniões da CPI da Prevent Senior ocorrerão semanalmente às quintas-feiras, a partir das 10h.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários