O ministro da Saúde Marcelo Queiroga
Myke Sena/MS
O ministro da Saúde Marcelo Queiroga

Após ser convocado pela CPI da Covid pela terceira vez, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga , confirmou, nesta segunda-feira (11), que estara presente no dia 18 de outubro na oitiva. "Estou à disposição" da comissão, disse Queiroga.

O ministro foi convocado pelos senadores a comparecer à sessão do dia 18 de outubro , um dia antes da entrega do relatório final, para prestar esclarecimentos sobre a ausência de respostas aos questionamentos feitos e encaminhados pela CPI na terça-feira (05).

"Estou à disposição não só do Senado, mas da Câmara, da Procuradoria da República, do poder Judiciário, mas, sobretudo, do povo brasileiro", disse o ministro a jornalistas na porta do ministério, quando chegou para trabalhar nesta segunda.

Os senadores da comissão fazem questão da presença de Queiroga na oitiva para que ele explique a demora da Saúde em apresentar um plano de vacinação para 2022 e o motivo da pasta ter tirado da pauta da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (Conitec), o relatório que propunha retirar a orientação de medicamentos que compõem o kit Covid no tratamento de pacientes acometidos pela doença.

Leia Também

Queiroga, no entanto, apresentou um  novo plano de operacionalização da vacinação contra a Covid para o ano que vem , após ser pressionado pela CPI.

Sobre a decisão da Conitec de adiar as discussões que envolvem o kit Covid, o ministro negou qualquer interferência. "Tenho outras coisas mais a fazer do que ficar interferindo em câmara do ministério. Tenho que distribuir vacinas para a população, já distribuí mais de 310 milhões."

Ao ser questionado sobre os trabalhos finais da CPI, Queiroga disse não acompanhar as oitivas. "Não assisto aos depoimentos porque isso é uma função do Parlamento. Existe a tripartição dos Poderes. Cada um cuida do seu campo. Eu cuido aqui da saúde pública, da saúde de forma geral", explicou.

O terceiro depoimento de Queiroga será o último da comissão. Após a leitura do relatório feita pelo redator da comissão, Renan Calheiros, o documento seguirá para a pauta de votação em 20 de outubro. Esta ação marcará o fim oficial dos trabalhos do colegiado.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários