Ministério da Ciência e Tecnologia
Geraldo Magela/ Agência Senado
Ministério da Ciência e Tecnologia


Entidades ligadas à pesquisa reagiram com críticas a um projeto aprovado pelo Congresso Nacional na última quinta-feira (7). O texto em questão autoriza a redistribuição de R$ 600 milhões do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT), que é administrado por um conselho do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, para outras pastas do governo.


O montante, equivalente a 90% dos recursos do FNDCT , seria utilizado em bolsas de estudo e apoio à pesquisa.


Diante disso, as entidades do setor classificaram o ato como um golpe na ciência que prejudica o desenvolvimento do país e o trabalho de iniciativas como o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), conforme publicado pelo G1.

Leia Também


O portal mostra que a Iniciativa para a Ciência e Tecnologia no Parlamento (ICTP.br) encaminhou uma nota ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), em que diz que a proposta do Ministério da Economia "afronta a ciência nacional". "É um golpe duro na ciência e na inovação, que prejudica o desenvolvimento nacional", destaca a iniciativa.


O ICTP se refere à pasta comandada pelo ministro Paulo Guedes porque a proposta foi alterada no Congresso a pedido dela. O Ministério da Economia argumentou que os recursos para o setor não estariam sendo utilizados, o que as entidades e associações refutam.



Segundo a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), o recurso redistribuído poderia cobrir os custos da retomada da Chamada Pública Universal, que foi anunciada pelo MCTI no mês de agosto. Já a Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG) afirmou que "não haverá dinheiro para pagar as bolsas de estudos dos pesquisadores".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários