Eduardo Leite (PSDB-RS)
Felipe Dalla Valle/Palácio Piratini
Eduardo Leite (PSDB-RS)

Eduardo Leite (PSDB-RS) tem ganhado apoio do partido para candidatura à Presidência da República. O governador gaúcho é visto como o candidato ideal para a chamada terceira via nas eleições de 2022 por apoiadores.

De acordo com o UOL , Leite é enxergado como um possível conciliador de partidos de centro e centro-direita em uma chapa futura, algo que, de acordo com seus apoiadores, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB) , teria mais dificuldade para conseguir. Doria é o principal nome da sigla para ser lançado como candidato nas eleições do ano que vem e concorrente do gaúcho.

A postura de conciliação e imagem pacifista de Leite tem sido destaque para conquistar apoiadores dentro do partido. A terceira via , para os aliados, precisa reunir eleitores críticos ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e à esquerda.

"O perfil dele [Leite] é o perfil que a gente espera nesse momento de polarização no Brasil e na política, um país que tomou um rumo de 'nós contra eles'. O Eduardo representa o inverso. Ele tem sua posição muito clara, mas tem sensibilidade e governa para todos, entende que agregar é muito mais importante do que dividir", disse o deputado federal Lucas Redecker (PSDB-RS), presidente do PSDB-RS. Redecker também é uma das principais vozes da sigla a fazer oposição a Bolsonaro.

Leia Também

Ainda de acordo com o jornal, nomes que fazem parte do partido e apoiam Leite afirmam que Doria não seria o nome certo para lidar com o centro, dizendo que ele se envolveu em cisões no partido em níveis nacional e estadual e poderia criar rupturas na composição da candidatura ao centro.

"Leite é muito conciliador. A maneira como ele se comporta, busca sempre ter um discurso de distensionar, da sensatez. É isso que o Brasil precisa, de um momento de respirar e estabelecer convivência entre os desiguais. Ele se elegeu e foi conversar com a oposição mais ferrenha", disse o deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB-PB).

Na última segunda-feira (13), Leite ganhou apoio oficial do PSDB mineiro, que tem a segunda maior banca do partido na Câmara dos Deputados, atrás apenas de São Paulo. De acordo com o deputado federal Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG), o motivo da aprovação também é o tom "pacificador" do gaúcho, além do desentendimento de Doria com o ex-governador Aécio Neves . Isso porque, em fevereiro, Doria tentou expulsar Neves, que hoje é deputado do partido .

"A base do partido em Minas tem um respeito muito grande pelo ex-governador [Aécio] e, em consequência, adotou Leite. Soma-se a isso a percepção de que, diante da imensa responsabilidade de contribuir para construir a terceira via, Leite é aquele que parece possuir, pelo temperamento e pela maneira de fazer política, maiores condições de unir, inclusive outros partidos", acrescentou Abi-Ackel.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários