Jair Bolsonaro
Leco Viana/TheNews2/Agência O Globo
Jair Bolsonaro



Logo após o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), divulgar uma nota para tentar apaziguar a tensão entre os Poderes , aliados e oposicionistas se pronunciaram nas redes sociais. 

Reconhecidamente bolsonarista, o pastor Silas Malafaia afirmou que "continua aliado [ao presidente], mas não alienado" e criticou o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes. 

"CONTINUO ALIADO, MAS NÃO ALIENADO ! Bolsonaro pode colocar a nota que quiser , Alexandre de Moraes continua a ser um ditador da toga que rasgou a constituição e prendeu gente inocente . MINHAS CONVICÇÕES SÃO INEGOCIÁVEIS !".


Na mesma linha, o ex-senador Magno Malta também atacou o STF: "Desse jeito ! Alexandre Morais [sic] , Barroso e companhia continuam ditadores de toga ! Não abro mão do BRASIL , sem medo ..!". 


Oposição

O ex-presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, chamou o presidente de "frouxo e covarde". Também disse que o "evento de terça foi um desastre pro Bolsonaro, e a nota agora uma humilhação". 


Ex-aliada do presidente, a deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) ironizou Bolsonaro e seu filho, Carlos Bolsonaro.

Você viu?

"Gente! @jairbolsonaro soltou uma nota oficial agora negando tudo o que disse até hoje. Não tem uma só frase de Jair. Carluxo foi substituído pelo marqueteiro do Temer. Então, que tal trocar Guedes por Meirelles. JB está com muito medo do impeachment. #12SetForaBolsonaro", disse. "O tigrão virou tchutchuca. Bolsonaro é um calça frouxa mesmo. Vai #temer", continuou. 


Senador da opsição e um dos mais atuantes na CPI da Covid, Alessandro Vieira (Cidadania-SE), também optou pela ironia: "Li a cartinha do Temer que o Bolsonaro assinou. Será que agora o Temer passa a governar também? Será que vai redigir cartinha explicando mansões e rachadinhas? Vai vendo Brasil! Quem votou para “mudar tudo isso aí” faz o que? Espera cartinha para baixar o preço da gasolina?", postou.




Antes,  o governador paulista João Doria também já havia falado que "o leão virou rato" em alusão ao recuo do presidente.

Presidente do Senado

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), disse que o recuo de Bolsonaro vai ao encontro do desejo dos brasileiros. 

"A declaração à nação do presidente Jair Bolsonaro, afirmando inclusive que a 'harmonia entre os Poderes é uma determinação constitucional que todos, sem exceção, devem respeitar', vai ao encontro do que a maioria dos brasileiros espera".

Entenda o caso 

Após  almoçar com o ex-presidente da República, Michel Temer, o atual líder do Executivo brasileiro, Jair Bolsonaro (sem partido), divulgou uma nota para falar sobre a crise entre os Poderes. 

Em um texto dividido em dez pontos, Bolsonaro disse que nunca teve a intenção de "agredir quaisquer dos Poderes" -  mesmo com ataques constantes, nos quais, inclusive, chamou o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, de "canalha"

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários