Governador João Doria (PSDB)
Reprodução
Governador João Doria (PSDB)

Pela primeira vez, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), se posicionou a favor do impeachment do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) , durante coletiva nesta terça-feira (7).

No Comitê de Política Monetária (Copom), Doria disse que o presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo, convocou uma reunião executiva nacional do partido para esta quarta-feira (8) com o objetivo de discutir os desdobramentos das manifestações que ainda ocorrem nesta terça .

"Eu não faço parte da executiva nacional do PSDB, então não me cabe participar desta reunião. Mas já me manifestei e reproduzo aqui a minha posição: O PSDB, o partido pelo qual eu fui eleito pelo governador de São Paulo, o Estado mais imensamente habitado e maior força econômica do país, deve se posicionar pelo impeachment do presidente Jair Bolsonaro. O PSDB deve preservar como um partido de oposição ao presidente", afirmou o governador. 

"Eu, até hoje, nunca havia feito nenhuma posição pró-impeachment. Eu me mantive na neutralidade, entendendo que, até aqui, os atos deveriam ser julgados e avaliados pelo Congresso. Mas o presidente claramente afronta a Constituição, desafia a democracia e empareda a Suprema Corte Brasileira", continuou.

"O volume de crimes já cometidos pelo presidente da República na manifestação de hoje é mais do que suficiente para justificar, se não for um novo pedido, os mais de 130 pedidos que adormecem na mesa do presidente da Câmara Federal", justificou

"A minha posição é clara e amparada no direito e na Constituição: o presidente precisa sofrer um julgamento de impeachment pelos equívocos, pelos erros e pelo afrontamento à democracia", concluiu.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários