Renan Calheiros diz que 'não há nenhuma dúvida' que presidente prevaricou ao não levar adiante denúncia do caso Covaxin
Reprodução/Youtube
Renan Calheiros diz que 'não há nenhuma dúvida' que presidente prevaricou ao não levar adiante denúncia do caso Covaxin

Relator da CPI da Covid, o  senador Renan Calheiros (MDB-AL) revelou na noite desta segunda-feira (9) que a perspectiva é que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) seja enquadrado em crime de responsabilidade pela forma como conduziu o enfrentamento à pandemia.

Em entrevista ao programa "Roda Vida", da TV Cultura, Renan afirmou que "não há dúvida nenhuma" de que o chefe do Executivo prevaricou no caso Covaxin .

"A perspectiva é que no caso do presidente, seja enquadrado em crime de responsabilidade. Ele e outros agentes públicos", afirmou Renan, ao ser questionado se Bolsonaro poderia responder por esse tipo de crime, que poderia levar a um processo de impeachment contra o presidente da República.

Você viu?

O senador disse, ainda, que o presidente prevaricou ao não levar adiante as denúncias levadas a ele pelos irmãos Miranda, sobre supostas irregularidades na compra da vacina Covaxin .

"Acho que já há comprovação do crime de prevaricação. Não há nenhuma dúvida. Estamos avançando para recolher suas digitais na negociação da Covaxin, que era a única vacina que Bolsonaro queria. Ele estava pedindo para (o governo) comprar 20 milhões de doses da Covaxin, enquanto negava 170 milhões de doses da OMS, da Pfizer e do Butantan", completou Renan.


O senador disse que  pretende antecipar a entrega do relatório final da CPI e que, em sua opinião, o presidente "praticou todo tipo de ilegalidade e de crime".

"A CPI deve concluir seu trabalho responsabilizando agentes públicos, servidores, pessoas que não tiveram cuidado com a vida dos brasileiros, com teorias malucas, defesa da imuniadde de rebanho, gabinetes paralelos, aplicativos para prescrição da cloroquina", afirmou Renan.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários