Senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP)
Divulgação/Agência Senado/Jefferson Rudy
Senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP)

O vice-presidente da CPI da Covid, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), usou suas redes sociais para comentar a denúncia de uma reportagem da Folha de S.Pauloque revela que o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello negociou a compra de 30 milhões de doses da vacina CoronaVac com intermediários pelo triplo do preço pago pelo governo de São Paulo.

"A CPI da Pandemia abriu a caixa de Pandora! Estão emergindo todos os esquemas do Governo Federal na compra de vacinas. Os brasileiros e brasileiras que morreram, não foram vitimadas apenas pela COVID-19!", disse o senador.



Você viu?

Pazuello teria se reunido no dia 11 de março com quatro membros da empresa World Brands, de Santa Catarina, responsável por trabalhos no âmbito do comércio exterior, fora de sua agenda no Ministério da Saúde. Em vídeo disponibilizado pela Folha,  o ex-chefe da Saúde fala sobre a negociação.

A CoronaVac foi a primeira vacina contra Covid-19 aplicada no Brasil. O contrato para a compra do imunizante foi firmado em parceria do governo de São Paulo, do rival político do governo federal, João Doria (PSDB), por meio do Instituto Butantan, com o laboratório chinês Sinovac Biotech.

Em um de seus dois depoimentos à CPI da Covid, Pazuello disse que "não podia negociar" vacinas com empresas por conta de seu cargo de dirigente máximo da pasta, fato desmentido pela reportagem.

"Pela simples razão de que sou o dirigente máximo, eu não posso negociar com a empresa. Quem negocia com a empresa é o nível administrativo. O ministro jamais deve receber uma empresa. O senhor [Renan Calheiros] deveria saber disso" disse na ocasião, ao justificar a demora em negociar com a farmacêutica Pfizer.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários