Ministro do STF, Gilmar Mendes
Foto: Rosinei Coutinho/SCO/STF
Ministro do STF, Gilmar Mendes

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes , criticou nesta segunda-feira (12) a defesa do voto impresso, feita pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e apoiadores do governo federal.

“É um tipo de lenda urbana que galvaniza o grupo de apoiadores do presidente. Mas entendo que isso é tão consistente quanto a mensagem que diz que o homem não foi à lua”, afirma o magistrado a rádio CBN, ao ressaltar que ‘não há fraude na urna eletrônica”.

Gilmar usou exemplos de parlamentares eleitos na “onda bolsonarista ” para demonstrar a segurança do processo eleitoral: 

 “Os senhores já tinham ouvindo falar de Hélio Negão? De Bia Kicis? Nenhum de nós tinha ouvindo falar deles. Eles vieram nesse arrastão provocado pelo presidente, o que prova que a urna é fiel aos votos que lá foram depositados”, declara.

No Supremo, o decano Marco Aurélio Mello se aposenta apos 31 anos de plenário nesta segunda (12). Sobre seu substituto, Gilmar Mendes declara que o magistrado devera ser “terrível defensor da Constituição” e que a religião do escolhido não é fator fundamental.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários