Reverendo Amilton, que teria sido autorizado pelo Ministério da Saúde a negociar a compra de vacinas
Reprodução
Reverendo Amilton, que teria sido autorizado pelo Ministério da Saúde a negociar a compra de vacinas

BRASÍLIA — O senador e vice-presidente da CPI da Covid , Randolfe Rodrigues (Rede-AP), disse na manhã desta terça-feira que deve ser votado amanhã o requerimento para convocação do reverendo Amilton Gomes de Paulo, que teria sido autorizado pelo Ministério da Saúde a negociar a compra de vacinas.  Inicialmente, a votação dos requerimentos estava prevista para hoje mas foi adiada.

O Jornal Nacional apresentou no final de semana uma série de e-mails que mostravam que o reverendo teria sido autorizado pelo diretor de Imunização do Ministério da Saúde, Laurício Monteiro Cruz, a negociar a compra de 400 milhões de doses da vacina. O senador Alessandro Vieira (Cidadania) pediu para que os registros telefônicos, fiscais, bancários e telemáticos de Amilton também fossem disponibilizados aos senadores.

A CPI da Covid também deve votar a quebra de sigilo do líder do governo Ricardo Barros (PP-PR) . O deputado federal teria sido citado pelo presidente Jair Bolsonaro como responsável por um suposto esquema de corrupção na aquisição da vacina indiana Covaxin, de acordo com o deputado Luis Miranda (DEM-DF). Os senadores também vão decidir se Miranda terá seu sigilo quebrado.

Você viu?

Há também requerimentos para a convocação do representante oficial da Davati no Brasil, Cristiano Carvalho, que aparece copiado em e-mails da Secretaria Nacional de Assuntos Humanitários (Senah) — uma organização privada, e não um órgão do governo. A comissão também vai avaliar a quebra de sigilos no policial militar Luiz Paulo  Dominguetti, que se apresenta como representante comercial da Davati.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários