Bolsonaro participou de cerimônia nesta quinta-feira (10)
Wikimedia Commons
Bolsonaro participou de cerimônia nesta quinta-feira (10)

Nesta quinta-feira (10), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) participou da cerimônia de comemoração de 22 anos da criação do Ministério da Defesa . Na ocasião, Bolsonaro defendeu que a pasta seja comandada por militares, proposta diferente do que foi dito inicialmente de colocar as Forças Armadas sob domínio civil.

Em discurso, o mandatário também criticou a maneira que o Ministério foi criado em 1999, dizendo que veio "muito mais por uma imposição política do que uma necessidade militar, mas mesmo assim ela foi aprovada sem muita discussão".

Ele ainda afirmou que "filiações político-partidárias ocuparam a frente do ministério da Defesa, bem como nos cargos de livre provimento".

"Sofremos muito, eu não estava na ativa, mas acompanhei esse processo de amadurecimento. Graças à formação de seus homens, a Marinha, o Exército e a Aeronáutica resistiram firmes naquele momento", disse Bolsonaro, lembrando que quem colocou um militar à frente da pasta pela primeira vez foi o ex-presidente Michel Temer . "E, realmente, esse amadurecimento começou a se acelerar. Chegou o nosso governo, coloquei o general Fernando Azevedo e agora o general Braga Netto à frente da Defesa", acrescentou.

Anteriormente, a pasta era liderada por ministros civis.

Bolsonaro também parabenizou os militares e ministros. "O Exército é a garantia da nossa soberania, da nossa Constituição. Temos um governo que joga estritamente dentro das quatro linhas da Constituição. Isso é paz para todos, é sinal de harmonia, é sinal de progresso. E até a nossa economia, prezado Paulo Guedes, também marcha nessa direção. Vocês todos, meus ministros, senhores militares, estão de parabéns", continuou.

A cerimônia foi realizada no Clube do Exército, em Brasília. Além da celebração da criação da pasta, o evento também é destinado à entrega da Ordem do Mérito da Defesa a autoridades e personalidades militares e civis. A primeira-dama Michelle Bolsonaro foi uma das contempladas.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários