'Lamento essa postura, não ajuda’, critica Romeu Zema sobre Bolsonaro
Gil Leonardi / Imprensa MG
'Lamento essa postura, não ajuda’, critica Romeu Zema sobre Bolsonaro

Alçado ao poder na esteira da eleição do presidente Jair Bolsonaro em 2018, o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), tem se descolado do aliado nos últimos meses e feito críticas contra a gestão da crise sanitária pelo governo federal.

Pré-candidato à reeleição, Zema se opõe à atuação do presidente na pandemia e também à defesa do voto impresso. Para ele, o importante são as reformas econômicas: “É de direita, de esquerda? Não interessa. A reforma saiu, ótimo”.

O presidente foi ao STF para tentar impedir medidas restritivas determinadas por estados e municípios. Isso não afeta os governadores?

A nossa posição sempre foi técnica em Minas Gerais. Sempre adotamos medidas de orientação aos municípios. Nunca falamos que é obrigado, só na hora em que o sistema corria risco de entrar em colapso. O presidente tem entrado numa seara que considero que seria do ministro da Saúde.

Você viu?

Por não ser médico, eu fico totalmente desconfortável em opinar sobre questões de saúde. Até entre os médicos há divergências. Agora, já imaginou entre leigos? Eu vejo que ele deveria deixar isso para os prefeitos e governadores, mais próximos da população.

O presidente costuma andar sem máscara e promover aglomerações. Isso dificulta a prevenção contra o vírus?

Com certeza causa mais questionamento, sim. Lamento que ele (Bolsonaro) tenha essa postura. Ajudar, não ajuda. Atrapalhar, não sei até que ponto.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários