Presidente Jair Bolsonaro (sem partido)
Agência Brasil
Presidente Jair Bolsonaro (sem partido)

Nesta segunda-feira (31), o PSOL apresentou à Procuradoria Geral da República (PGR) uma notícia-crime contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) por LGBTfobia . A fala denunciada foi proferida na live promovida na última quinta-feira (27) por Bolsonaro. As informações foram apuradas pela coluna Janela Indiscreta , do portal Metrópoles .

O deputado distrital Fábio Felix (PSOL-DF) e a vereadora Erika Hilton (PSOL-SP) disseram que o presidente deve se responsabilizar por ter chamado o vice-presidente da CPI da Covid, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) , de "saltitante". 

Bolsonaro durante transmissão do último dia 27
Reprodução
Bolsonaro durante transmissão do último dia 27

Na última quarta-feira (26), o parlamentar apresentou um requerimento de convocação do mandatário à Comissão Parlamentar de Inquérito e Bolsonaro reagiu à ação no dia seguinte, durante transmissão. "Agora, tem uma saltitante na Comissão que queria me convocar. É brincadeira, né? Ô, saltitante, está de brincadeira. Não tem o que fazer não, saltitante?", disse o presidente.

Segundo o partido, "o uso de palavras no feminino e termos pejorativamente associados a pessoas homossexuais evidenciam a tentativa de menosprezo em relação ao responsável pela convocação, associando-o a condições que, no entendimento do Presidente e parte de seu eleitorado, são dignas de demérito e zombaria".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários