General e ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello
Valter Campanato/Agência Brasil
General e ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello

O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello não está convencido a ir para a reserva. Ao Exército, o general disse que pretende responder no prazo o  formulário de procedimento disciplinar por ter ido a ato político com Bolsonaro , mas que, por ter sido novamente convocado pela CPI , ainda não pode ir para a reserva. As informações são da jornalista Carla Araújo , do UOL .

Membros do Alto Comando teriam tentado convencer Pazuello, mas sem ameaçar punições rigorosas em caso de negativa.

"Não houve ameaça do tipo: 'podemos te prender se você não fizer isso'. Ele é um oficial-general, o Exército não trabalha assim. Nós fizemos o que pudemos e ele não quer", disse à reportagem um integrante do Alto Comando.

Os militares aceitam a justificativa do ex-ministro da saúde, mas continuam defendendo que haja uma "punição exemplar" para evitar que militares voltem a participar de manifestações de cunho político. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários