Fábio Wajngarten, ex-secretário especial de Comunicação Social
Carolina Antunes/PR
Fábio Wajngarten, ex-secretário especial de Comunicação Social

As críticas do ex-secretário especial de Comunicação Social Fábio Wajngarten ao ex-ministro da Saúde, o general Eduardo Pazuello , foram vistas como "canalhice" e "covardia" pelo Palácio do Planalto . Em entrevista à Veja , Wajngarten responsabilizou o militar pela falta de vacinas no Brasil. A informação é da coluna da jornalista Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo .

As palavras foram usadas por um dos ministros do governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que afirma que, ao atacar Pazuello, Wajngarten fatalmente atinge Bolsonaro, ainda que pareça poupá-lo.

Na semana passada, já foi criada também a CPI da Covid , para investigar justamente a responsabilidade da área de saúde do governo federal contra a Covid-19 . Desde o início da pandemia, mais de 380 mil brasileiros já morreram vítimas da doença no Brasil.

O ex-secretário de Comunicação tentou isentar o presidente. "O presidente Bolsonaro está totalmente excluído de qualquer responsabilidade nesse sentido. Se as coisas não aconteceram, não foi por culpa do Planalto", disse Wajngarten. Segundo o ex-secretário, o presidente "era abastecido com informações erradas, não sei se por dolo, incompetência ou as duas coisas".

A culpa, portanto, seria de assessores de Bolsonaro que passavam informações erradas. No raciocínio de Wajngarten, houve incompetência e ineficiência da equipe de Pazuello na negociação de vacinas com a Pfizer. O contrato com a empresa, segundo ele, poderia ter sido assinado em "setembro, outubro".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários