Presidente Jair Bolsonaro
O Antagonista
Presidente Jair Bolsonaro

Na manhã desta terça-feira (23), a Secretaria Especial de Comunicação Social ( Secom ), compartilhou um vídeo em que ressalta que o governo federal não propagou um discurso antivacina . As informações foram apuradas pelo Metrópoles. 

De acordo com a Secom, desde o início da pandemia do novo coronavírus , em março de 2020, o atual presidente da República, Jair Bolsonaro instruí seu governo para que a uma solução “verificada, testada, com celeridade, sem demagogia midiática” seja encontrada para conter o vírus. 

No vídeo de quase três minutos, falas do presidente nos últimos meses são intercaladas com manchetes dos veículos de imprensa do Brasil , que são classificados como “mentirosos”. Ainda no vídeo, é informado sobre a compra de 562 milhões de doses da vacina contra a Covid-19 pelo governo federal e sobre a velocidade de sua aplicação. 

É ressaltada a medida assinada por Bolsonaro que destinou cerca de R$ 20 bilhões para assegurar a vacinação da população brasileira . O Ministério da Saúde sob o comando do general Eduardo Pazuello é alvo de críticas por parlamentares e especialistas, que apontam negligencia do governo ao ir em busca dos imunizantes e sobre a demora no ritmo da vacinação.  

Você viu?

Segundo informações do site Our World in Data, vinculado com a Universidade de Oxford, mostra que o governo brasileiro administrou cerca de 14,2 milhões de doses da vacina. Na semana passada, atendendo aos pedidos de parlamentares, Bolsonaro anuncio que o médico Marcelo Queiroga assumiria Ministério da Saúde. 

Porém, a troca já foi adiada duas vezes e no momento, a estimativa é de que o anúncio seja feita na quinta-feira (25). O presidente busca uma saída justa para Pazuello que é alvo de investigações no Supremo Tribunal Federal (STF), por suspeita de omissão na crise de oxigênio em Manaus . Com a sua saída do ministério, Pazuello perde também o foro privilegiado. 

A divulgação do vídeo ocorre após o Bolsonaro adotar uma nova postura em relação à vacinação contra a covid-19. Nos últimos meses, o presidente insinuou possíveis efeitos colaterais causados pelo imunizante e politicou a vacinação. 

Sempre em embate com o governador de São Paulo, João Doria, Bolsonaro já chegou a questionar a eficácia da vacina CoronaVac e ainda disse que o governo não iria comprar “a vacina chinesa de João Doria”. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários