Ex-presidente Lula da Silva (PT) e Ciro Gomes (PDT)
ig
Ex-presidente Lula da Silva (PT) e Ciro Gomes (PDT)


O ex-ministro e presidenciável em 2018, Ciro Gomes (PDT) opinou nesta terça-feira (9) a respeito da anulação da condenação do  ex-presidente Lula na Operação Lava Jato.

 "É bom para o Brasil, um camarada que foi perseguido", afirma Ciro ao comentar sobre a decisão do ministro Edson Fachin , do STF , de anular a condenação do petista e torná-lo elegível.

Contudo, ponderou sua fala, dizendo que não considera Lula inocente, que conhece o modelo que, em sua visão, envolve corrupção no “lulopetismo”:

"Não é que o Lula seja inocente, tem um brasileiro aqui que conhece o Lula de longa data. A ladroeira, a corrupção fazia parte orgânica do modelo de poder do lulopetismo, do governo Lula e Dilma", opina Ciro Gomes.

O ex-ministro da integração durante o segundo mandato de Lula, relembrou o fato de Antonio Palocci, “braço direito” do ex-presidente, e Eduardo Cunha , dois politicos condenados por corrupção terem sido aliados do Partido dos Trabalhadores ( PT ):

"Palocci era braço direito do Lula, é réu confesso, devolveu 100 milhões de reais. O Eduardo Cunha, quando o Lula entregou Furnas para o Cunha roubar, eu escandalizei na época. A Dilma entregou a vice-presidência da Caixa para o Geddel, aquele das malas com 51 milhões. Portanto, a mim eles não enganam, discorre Ciro.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários