Doria e Bolsonaro
Marcos Corrêa/PR
Doria e Bolsonaro

Em coletiva de imprensa, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse que é "absurda" a acusação feita pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de que o cartão de vacinação de sua mãe tenha sido fraudado após ser imunizada contra a Covid-19 .

"Considero um absurdo uma colocação como essa. Tivemos essa notícia não pelo sistema de saúde, mas pela imprensa. Não estamos preocupados se as pessoas estão tomando vacinas do Butantan ou da AstraZeneca. Não estamos preocupados se familiares do presidente tomam essa ou aquela vacina. Importante é que todos tomem vacinas. Isso nos preocupa: que todos tenham acesso às vacinas", disse Doria.

Em live nas redes sociais nesta quinta (18), o presidente negou que sua mãe, Olinda Bonturi, de 93 anos, tenha sido vacinada com a CoronaVac , mas sim pelo imunizante desenvolvido pela Universidade de Oxford/AstraZeneca . De acordo com ele, um enfermeiro falsificou o cartão de vacinação da mãe dele, informando que ela havia sido vacinada com a CoronaVac . A mãe do presidente foi vacinada contra a Covid-19 na última sexta-feira (12), em casa, na região central de Eldorado (SP), no Vale do Ribeira.

O governador de São Paulo, no entanto, afirmou que Bolsonaro criou uma "polêmica desnecessária" sobre a CoronaVac. "É totalmente desnecessária essa polêmica. É só na cabeça de uma pessoa como o presidente Jair Bolsonaro. O importante é que a mãe dele foi vacinada, como todas as pessoas acima de 85 anos estão sendo vacinadas", afirmou Doria.

"As vacinas são boas. Temos que vacinar. Essa devia ser a preocupação do presidente. Não recomendar cloroquina, recomendar aglomerações, intimidar quem usa máscara chamando de maricas ou intimidar pessoas com mais de 60 anos, que ficam em casa, chamando de covardes. Espero que ele siga o exemplo da mãe e tome a vacina, seja ela qual for", acrescentou.

    Leia tudo sobre:

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários