Vereadora trans de Belo Horizonte Duda Salabert (PDT)
Reprodução/Twitter @DudaSalabert
Vereadora trans de Belo Horizonte Duda Salabert (PDT)

A vereadora trans Duda Salabert (PDT), eleita em Belo Horizonte com o maior número de votos para ocupar vaga na Câmara municipal, foi ignorada pelo vereador eleito Wesley da Autoescola (Pros) durante a cerimônia de posse nesta sexta-feira (1º) quando ele cumprimentou a candidata que teria recebido mais votos.

Em vez citar Salabert, que teve 37.613 votos, o parlamentar foi parabenizou Professora Marli (PP), que teve 14.496. Marli ficou na terceira posição.

A declaração de Wesley ocorreu enquanto os eleitos se revezavam ao microfone do plenário. Depois, Duda chegou a protestar sobre o tema.

"Vim aqui para discutir política, projetos de emprego, renda, moradia e saúde para Belo Horizonte. Episódios transfóbicos, como o ocorrido aqui, a gente resolve fora da Câmara, indo à delegacia e fazendo denúncia para que ele seja preso, caso se configure, de fato, como transfobia", disse Salabert após a cerimônia de posse.

Segundo a vereadora, se o colega repetir atitudes do tipo, ele vai acionar a polícia. "Costumo dar uma segunda chance a todo mundo. Caso ele repita isso — como sou professora, de forma pedagógica e educativa — entendo que terei de ir à delegacia cumprir meu papel de cidadã, para que ele seja responsável pelas consequências", afirmou.

Em seu discurso, o vereador do PP ainda comemorou o fato de a Câmara não ter aprovado, nos quatro anos que se passaram, projetos que ele chamou de "ideológicos".

"Não posso ser criminalizado em expor um pensamento que tenho como verdade. Da mesma forma que, se eu falar daquilo que é verdade para mim e entender que isso é um crime de fobia, ela estaria sendo incriminada, talvez, por 'evangéliofobia', 'cristofobia' ou 'conservadorismofobia'", respondeu o parlamentar.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários